Manifesto em duas partes, por Casey Neistat

Depois do anúncio na noite de Óscares, Casey volta às origens.

 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

No intervalo dos Óscares, Casey Neistat protagonizou, a convite da Samsung, um monólogo sobre os criadores de conteúdo amadores, direccionado aos senhores das grandes produções. Uma semana mais tarde, Casey vira-se para os amadores com um vídeo, mais a seu jeito, em que reforça uma mensagem que há muito tem vindo a transmitir com o seu trabalho: Do What You Can’t.

Vamos por partes. O primeiro vídeo com uma produção mais cuidada e um estilo mais polido é uma chamada de atenção à indústria cinematográfica para a audácia do conteúdo produzido pela nova geração e para os resultados obtidos. (Podes ver os bastidores aqui.)

O segundo, com os cortes e aplicação da tipografia que o caracterizam e uma duração superior, parece uma descodificação da mensagem “comercial” para o seu público. Depois de feita a chamada de atenção, Casey vira-se para a comunidade com um apelo claro para que arrisquem.

Se não conseguirmos aumentar o número de patronos, a 2ª edição da revista será a última, e o Shifter como o conheces terminará no final de Dezembro. O teu apoio é fundamental!