Morreu o rapper Beto Di Ghetto

O Hip Hop português inicia a semana mais pobre.

Beto di Guetto
 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

Hoje o Hip Hop português acordou de luto, ainda a digerir a notícia que no final do dia de ontem começou a circular pelas redes sociais sobre o falecimento de Beto Di Ghetto.

Nascido em Portugal, e descendente de Cabo Verdianos, Beto Di Ghetto era Felisberto Pereira Tavares quando rimava, quer fosse em português ou em criolo, tendo como maior virtude o sentimento aplicado em cada linha, usando a sua música como uma arma.

Em 2002, Beto participou em “Talvez“, no álbum Sobre(tudo), segundo disco do Sam The Kid, e em 2008, participou no tema “Quantidades“, faixa lançada na reedição de Pratica(mente). Em 2012 lançou o seu único álbum a solo, [Alfa]Beto. Ao longo da carreira o rapper colaborou com nomes como DJ Cruzfader,Madkutz, Bomberjack, Tchoras MC ou Syer, entre outros.

Porque todo o mundo é vítima da política, peço a vossa permissão para lançar a minha critica, é liberdade de expressão com boa educação, rap é o que faço tou em fase de exaustão

Sem nunca esquecer as suas raízes e valores da cultura, Beto di Ghetto será sempre recordado como um guerreiro com o dom da palavra. Um sonhador que lutava pela utopia da igualdade social, numa sociedade onde a tolerância parece ser cada vez menor.

 

O Shifter precisa de cerca de 1600 euros em contribuições mensais recorrentes para assegurar o salário aos seus 2 editores. O teu apoio é fundamental!