O melhor álbum europeu de 2016 pode ser dos portugueses First Breath After Coma

Disco está nomeado ao lado dos trabalhos de Radiohead ou Blood Orange.

 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

Drifter, o disco que os First Breath After Coma editaram em 2016 com os quase 7 mil euros angariados em crowdfunding, está nomeado para Álbum Independente Europeu do Ano pela IMPALA, a associação que representa o sector da música indie na Europa.

A lista dos 25 álbuns nomeados, de 19 países, à 7ª edição do prémio foi divulgada e inclui, entre outros, A Moon Shaped Pool dos Radiohead, Freetown Sound de Blood Orange, Mechanics de Jolly Mare, e Gewoon Boef de Boef. No ano passado, a IMPALA distinguiu Vestiges & Claws de Jose Gonzalez, como o melhor de 2015.

“Mais uma vez a selecção sublinha a diversidade e qualidade das editoras independentes de toda a Europa”, lê-se no site da IMPALA. Esta não é a primeira vez que existem candidatos portugueses ao título de Álbum Independente Europeu do Ano. Em 2014, Dois de Batida e Heart And Spine de Frankie Chavez integraram a lista de nomeados – ganhou Our Love de Caribou.

Drifter deu aos First Breath After Coma a oportunidade de participar no festival Reeperbahn, em Hamburgo. A banda de Roberto Caetano (voz), Telmo Soares (guitarra e voz), Rui Gaspar (baixo e voz), Pedro Marques (bateria e voz) e João Marques (teclas) decidiu aproveitar a passagem pelo Reeperbahn para fazer uma digressão por toda a Alemanha, juntando duas datas em Madrid e Paris, e contar a viagem em exclusivo no Shifter.

O vencedor deste ano será anunciado no final do mês.

Lista de nomeados

  • Agnes Obel – Citizen of Glass (PIAS)
  • Bisse – Højlandet (Gateway Music)
  • Blood Orange – Freetown Sound (Domino Records)
  • Boef – Gewoon Boef (Zonamo Entertainment)
  • Claudio Capéo – Claudio Capéo (Jo and Co)
  • Danny Brown – Atrocity Exhibition (Warp)
  • Dubioza Kolektiv – Happy Machine (PIAS)
  • First Breath After Coma – Drifter (Omnichord Records)
  • Hangutazók – Indulj El (RNC Music / Egység Média)
  • Highasakite – Camp Echo (Propeller Recordings)
  • Jolly Mare – Mechanics (42 Records/Don’t Panic)
  • Kase.O – El Círculo (BOA)
  • Klaus Johann Grobe – Spagat der Liebe (Cargo Records)
  • Lost Frequencies – Less Is More (Lost & Cie)
  • LUH – Spiritual Songs for Lovers to Sing (Mute Records)
  • Mark Ernestus’ NDAGGA RHYTHM FORCE – Yermande (Ndagga)
  • Meshuggah – The Violent Sleep Of Reason (Nuclear Blast)
  • Mikko Joensuu – Amen 1 (Svart Record)
  • One Sentence. Supervisor – Temporär Musik 1-13 (Oh, Sister Records)
  • Oscar – Cut And Paste (Wichita Recordings)
  • The Radio Dept. – Running Out of Love (Labrador)
  • Radiohead – A Moon Shaped Pool (XL Recordings)
  • Sara Renar – Tišina (Aquarius Records)
  • Škrtice – Škrtice (Lampshade Media)
  • Židrūns – Židrūns un tas, ko nevar nest (I Love You Records)
Se não conseguirmos aumentar o número de patronos, a 2ª edição da revista será a última, e o Shifter como o conheces terminará no final de Dezembro. O teu apoio é fundamental!