Office of Displaced Designers: designers a ajudar a mudar o mundo

A ODD é uma ONG que pretende colocar designers a mudar a vida de refugiados.

 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

As migrações forçadas têm sido um dos principais problemas dos últimos anos a nível global. Sem um plano de contingência consertado por parte das grandes instituições mundiais, sobra para pequenas e médias organizações de voluntários grande parte do trabalho essencial, especialmente junto destas comunidades. 

Ao apelo internacional foram dezenas, ou talvez centenas, as respostas de associações um pouco por todo o mundo e todas elas meritórias sem dúvida da nossa partilha.

Mas hoje escrevemos-te para te dar a conhecer um dos exemplos que nos chamou particularmente à atenção. Falamos-te do The Office of Displaced Designers (ODD) uma organização especializada em design e arquitectura e que pretende estar na linha da frente na partilha e criação de conhecimento junto destas comunidades deslocadas.

Embora aos estranhos à área possa parecer despropositado, a verdade é que o sonho primordial de muitos designers é mesmo mudar o mundo e não fazer coisas bonitas – que infelizmente são melhor remuneradas nos dias que correm.

A ODD oferece assim aos designers uma ponte de contacto com uma nova realidade onde a necessidade se encarrega da lista de tarefas e a escassez da inspiração, proporcionando a designers uma plataforma para pensar em soluções de melhoria para estas pessoas ou para que, simplesmente, possam dar workshops partilhando o melhor do conhecimento. Como ilustra aliás o mais recente projecto da associação.

Foi através da Rita Gaspar que ficámos a conhecer esta ONG. A jovem portuguesa de 23 anos e designer de formação está no seu segundo projecto de colaboração com associações de trabalho voluntário e está neste momento a organizar um workshop em Lesbos, na Grécia, num dos principais campos de acolhimento de refugiados. 

O tema será a fotografia e a criação de imagens e o objectivo é munir as pessoas de novas ferramentas e conhecimentos na área da expressão pessoal e do storytelling. Para o efeito, a Rita precisa de algum dinheiro para comprar materiais e providenciar uma refeição aos participantes, e criou uma campanha de donativos à qual te podes juntar.

O workshop realizar-se-à entre 22 e 25 de Março, no espaço da organização e é aberto tanto a migrantes como à população local, com o objectivo de sensibilizar as comunidades locais. No final, a Rita vai contar-nos como correu e vais poder ficar a conhecer melhor toda a história.

Se não conseguirmos aumentar o número de patronos, a 2ª edição da revista será a última, e o Shifter como o conheces terminará no final de Dezembro. O teu apoio é fundamental!