Uma curta animação para descobrires ou relembrares o Mito de Sísifo

Do realizador húngaro Marcell Jankovics, Sysiphus é uma interpretação única do mito de Sísifo.

Para terminar uma semana que começou com a badalada cerimónia dos Óscares tiramos o pó de mais uma pérola, que graças à maravilha que é a Internet pode ser vista e revista por qualquer um, a qualquer altura, ao fim de tantos anos.

Falamos-te de uma das animações nomeadas na 48º Edição dos Óscares, no ano de 1974. Da autoria do artista gráfico e realizador húngaro Marcell Jankovics, Sysiphus é uma interpretação única do mito de Sísifo feita com uma linha apenas. Um traço muito expressivo e dinâmico que une homem, pedra e encosta sob o som da sua esforçada respiração e se vai transformando ao longo da subida.

 

O mito de Sísifo é uma história de origem grega que conta a vida do antigo rei de Ephyra (hoje região de Corinto) que por avareza e abuso de poder acabou condenado pelos deuses a fazer rolar uma gigante pedra até ao cima de uma montanha, para depois a ver rolar colina abaixo e ter de repetir a tarefa.

Este mito viu reforçada a sua importância e a densidade da sua interpretação, quando em 1941 serviu de principal referência a um ensaio de Albert Camus sobre o sentido da vida, uma das obras centrais do filsófo francês, onde introduz o conceito de “absurdo” por que é sobejamente conhecido.

Como Camus explana na sua obra e Jankovics traduz no seu traço: é preciso imaginar Sísifo feliz na sua condição e ao fim de cada subida.