Europa Sobre Rodas: escolha da autocaravana #2

Antes de começarmos a ver autocaravanas, nunca nenhum de nós tinha entrado numa e foi tudo uma grande novidade.

 

A nossa escolha de caravana foi, logicamente, condicionada pelo dinheiro que tínhamos disponível. A nossa ideia inicialmente era comprar uma autocaravana um pouco mais recente, mas, como só tínhamos 10 000 euros para gastar (incluíndo arranjos mecânicos), não restavam muitas opções.

A primeira alternativa era compramos uma autovivenda, que, embora seja mais barata, acarreta dois pequenos problemas – o tamanho e a casa de banho. Pensando numa viagem tão grande, sentimos necessidade de ter um espaço amplo e uma casa de banho funcional, onde pudéssemos inclusive tomar banho. A segunda opção foi uma Fiat Ducato 1.9TD, que, por ter turbo, anda um pouco mais, especialmente nas subidas, mas também se torna um pouco mais susceptível a problemas mecânicos. A última e terceira opção foi a que comprámos – uma Fiat Ducado 2.5D. Apesar de ser um pouco mais lenta, tem uma mecânica muito simples e fiável, factor que pesou muito na decisão, pois se viermos a ter algum problema qualquer mecânico nos consegue ajudar.

Antes de começarmos a ver autocaravanas, nunca nenhum de nós tinha entrado numa e foi tudo uma grande novidade. Vimos duas autocaravanas antes de compararmos a que actualmente temos. Quando vimos esta, ficámos logo muito entusiasmados, pois estava impecável por dentro e por fora, levámos connosco uma pessoa que percebia de mecânica que nos disse que parecia estar tudo OK. Como o dinheiro não caiu do céu e foi resultado de muito trabalho, a decisão de compra não foi fácil, porque comprar uma carrinha de 30 anos tem sempre o seu risco.

Alguns factores a ter em conta antes de comprar uma autocaravana são: os problemas de humidade (especialmente as caravanas mais antigas têm muitos e os interiores começam a apodrecer); a ferrugem  (muitas caravanas são importadas de países com muita neve, o que faz com que tenham muita ferrugem por causa do sal que metem na estrada); os equipamentos, frigorífico, fogão, água quente…; e por fim, muita atenção à mecânica.

A caravana custou-nos 8 500 euros. Depois de a compramos fizemos uma revisão geral básica (filtros, pastilhas, óleos), mudámos a correia de distribuição (420 euros), metemos um jogo de pneus novos (300 euros) e finalmente tínhamos o mais importante para seguir viagem.

O diário de viagem Europa Sobre Rodas volta com mais um capítulo desta aventura durante esta semana.

Gostaste do que leste? Quanto vale conteúdo como este?

Trabalhamos todos os dias para te trazer artigos, ensaios e opiniões, rigorosos, informativos e aprofundados; se gostas do que fazemos, apoia-nos com o teu contributo.