Westway LAB regressa a Guimarães com música e conferências

De 5 a 8 de Abril.

O Westway LAB é um encontro de quem faz música (ou está ligado a ela) com quem gosta de música. Conferências e concertos fazem parte da programação dos três dias do festival, cuja 4ª edição decorre de 5 a 8 de Abril em Guimarães.

Este ano, o Westway LAB será maior em número de dias (passou de três para quatro), palcos, bandas e seguramente em toda a sua vivência, prometendo, mais uma vez, dinamizar cultural e socialmente a cidade de Guimarães. O evento divide-se em 4 grandes momentos: os concertos de entrada paga, os pequenos concertos gratuitos espalhados pela cidade, os encontros informais com artistas (de entrada livre) e as conferências profissionais.

Na música, o cartaz compõem-se com dois nomes fortes do panorama nacional: You Can’t Win, Charlie Brown e o seu último disco, Marrow; e Papercutz com nova voz – a da Catarina Miranda – e o último originais, King Ruiner. Mas há outros nomes que vale a pena descobrir neste festival: Quest, projecto de Joana Gama e Luís Fernandes, cruza o piano e a electrónica e apresenta-se com a Orquestra de Guimarães; Buslav, compositor, letrista e multinstrumentista mistura na sua música a eletrónica, a pop e um lado mais acústico, vem directamente da Polónia; XIXA, provenientes de Tucson, Arizona (EUA), trazem um som que respira a natureza selvagem e as paisagens áridas da sua terra natal.

Este ano, o Westway LAB sai do CCVF (Centro Cultural Vila Flor) e cresce pela primeira vez em direção à cidade com os pequenos concertos de entrada livre, que acontecem em quatro espaços: o CAAA (Centro para os Assuntos da Arte e Arquitectura), o Convívio Associação Cultural, o Bar da Ramada e o All Guimarães. Estes quatro locais convertem-se, na tarde de sábado, em pontos cardeais de uma experiência artística em roteiro pelas várias geografias de Guimarães, ao som da música que se faz no mundo. Adée, Ohrn, Joel Sarakula, Cristóvam, Maybe Canada, The Jooles, Serushiô e Vienna Ditto serão os projectos em cartaz.

O Westway LAB não é apenas um evento para mostrar arte – serve também para fazê-la. Músicos de diferentes geografias e estilos musicais vão estar uma semana no Centro de Criação de Candoso, desafiados à experimentação sem limites, e apresentarão os seu resultados em encontros informais e descontraídos com o público, em locais emblemáticos da cidade de Guimarães, como o Cor de Tangerina, o Tio Júlio e o Café Milenário.

Por fim, as conferências que a organização do festival baptizou de Westway PRO. As conferências profissionais procuram incentivar a partilha de conhecimento do mercado da música entre profissionais de topo e as comunidades de artistas, nacionais e internacionais, que participam no Westway LAB. Nesta edição do Westway PRO, vai existir uma reflexão sobre dois mercados específicos, o francês e o sueco, tidos como exemplo pelo tratamento que dão aos artistas nacionais e à sua internacionalização. Também participarão dois representantes do reputado South by Southwest Festival (SXSW), através um painel especial resultado de uma parceria com a associação empresarial WHY Portugal.

O programa completo do Westway LAB e os bilhetes estão no site oficial.