AddFuel vai decorar a escadaria que falta na Avenida Infante Santo

O projecto, agora anunciado, deverá ficar concluído entre Setembro e Outubro.

 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

Ao longo dos anos, as escadarias da Avenida Infante Santo, em Lisboa, foram sendo decoradas com painéis de azulejos de grandes artistas portugueses. Todas, menos uma. A convite da Mistaker Maker e da Junta de Freguesia da Estrela, AddFuel vai decorar a quinta e última escadaria daquela artéria da capital, que liga a Estrela a Alcântara.

AddFuel aka Diogo Machado vai preencher a fachada com um painel de azulejos de cerca de 200 metros quadrados. A sua obra ficará na história, ao lado dos trabalhos de Maria Keil, de Carlos Botelho, de Júlio Pomar e Alice Jorge, e de Sá Nogueira e Eduardo Nery.

Segundo a Junta de Freguesia, que partilhou recentemente no seu Facebook um teaser, a colocação dos azulejos vai arrancar em breve para aproveitar o tempo seco do Verão, prevendo-se que fique concluída entre Setembro e Outubro. A proposta de AddFuel para aquela parede inclui a reinterpretação de alguns elementos dos painéis já existentes.

AddFuel – ou Diogo Machado – , de 36 anos, é ilustrador freelancer. Começou a reinterpretar azulejos tradicionais com recurso a stencil (pintura com moldes), quando em 2008 foi convidado a participar numa exposição em Cascais, que consistia em revestir edifícios com telas com ilustrações. Desde então, já expôs, dentro e fora de portas, em várias cidades, em Portugal e no estrangeiro.

O projecto da Mistaker Maker, movimento de intervenção artística fundado por Lara Seixo Rodrigues, e da Junta de Freguesia da Estrela conta com parceria da Revigres, empresa especializada na produção de revestimentos e pavimentos cerâmicos Revigres, e tem apoio institucional do Programa de Investigação e Salvaguarda do Azulejo de Lisboa (PISAL) da Câmara de Lisboa e do Museu do Azulejo.

“No passado dia 6 de Maio, celebrou-se pela primeira vez o Dia Nacional do Azulejo. Foi também dia de revelar uma ideia que nasceu (quase por acaso) nesta minha ‘casa errante e fazedora’ que é a Mistaker Maker, partilhou Lara no seu Facebook. “Dois anos de procuras, de resistência e muita persistência.”

O Shifter precisa de cerca de 1600 euros em contribuições mensais recorrentes para assegurar o salário aos seus 2 editores. O teu apoio é fundamental!