Documentário Auto Rádio é uma magnífica volta a Portugal ao som de Benjamin

Músico português tocou durante 33 noites consecutivas, percorrendo Portugal de lés a lés. Digressão deu origem a um documentário, disponibilizado agora gratuitamente.

 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

Para apresentar Auto Rádio, o seu primeiro disco em português, Benjamim não se ficou por meia dúzia de datas pelo Portugal fora. Percorreu o país de lés-a-lés numa Volkswagen Golf de 1996, acompanhado do seu colega de palco António Vasconcelos, do técnico de som Manuel San Payo e do realizador Gonçalo Pôla. Tocou todas as noites durante 33 dias em terras e terriolas – uns concertos tiveram mais público, outros menos, mas Auto Rádio chegou a todo o país.

Benjamin chama-lhe a mais longa digressão de datas consecutivas de que há memória na história da música portuguesa. Foram 5 670 quilómetros percorridos – Benjamim viajou do coreto de Alvito, a sua terra-Natal, até à Gafanha da Nazaré, com etapa especial no festival Bons Sons, na aldeia de Cem Soldos. Uma inesquecível volta a Portugal que transparece a sua diversidade em paisagens, gentes, culturas e sabores.

Com duração de 90 minutos, Auto Rádio documenta a aventura de Benjamin (Luís Nunes), António Vasconcelos, Manuel San Payo e Gonçalo Pôla. Foi exibido em algumas salas, como o Cinema Ideal, em Lisboa, e o Cinema Passos Manuel, no Porto, e também no Bons Sons, em 2016. Está agora disponível gratuitamente no YouTube.

Gonçalo, o homem da câmara, captou a estrada nacional, a auto-estrada, os concertos, os ensaios de som, os quartos de hotel, as pensões, as discussões, a condução segura, os mergulhos na piscina e a chuva que se abateu sobre o palco. Isto para além das muitas entrevistas, das horas de sessões de gravação do disco – desde a sua concepção – e o desespero da busca pela escrita em português, território novo para o escritor de canções que até aí só assinava em inglês.

Tal como o disco, o filme Auto Rádio é uma viagem pelo país, pelas canções e pela música. Fala sobre Afife, sobre a Guiné, sobre concertos esquecidos no terreiro da Aldeia da Pedralva ou sobre fazer música em Portugal; é uma ode à dureza da estrada, aos concertos falhados, aos bem sucedidos, aos discos, à rádio, ao Verão e ao país, enquanto conta a aventura insólita de uma longa jornada por Portugal quase inteiro numa carrinha carregada de equipamento até ao tejadilho. Além disso, como documentário que é, mostra-nos inúmeros detalhes sobre as canções; descodifica-as e contextualiza-as.

A estrutura narrativa parte dos 12 temas do álbum, das múltiplas entrevistas dadas em estações de rádio um pouco por todo o lado, e do discurso directo de pessoas importantes para o disco: AP Braga, João Paulo Feliciano, Henrique Amaro e Luís Oliveira da Antena 3 ou Pedro Ramos da Radar FM.

Se não conseguirmos aumentar o número de patronos, a 2ª edição da revista será a última, e o Shifter como o conheces terminará no final de Dezembro. O teu apoio é fundamental!