O CEO da Red Bull vai lançar uma nova plataforma de extrema-direita

O órgão foi comparado ao americano Breitbart (jornal de extrema-direita que terá tido bastante influência nas eleições americanas).

Dietrich Mateschitz, CEO da Red Bull, anunciou o lançamento de uma nova plataforma de media, “Näher an die Wahrheit” (“Mais Perto da Verdade”, em português). A novidade foi revelada numa entrevista ao jornal austríaco Kleine Zeitung que contou com a presença de opiniões conservadoras de direita.

O Artnet expôs a situação. O homem mais rico da Áustria, que patrocina grandes eventos artísticos e culturais, vai lançar um novo órgão de comunicação social e é adepto das políticas de direita. O órgão foi comparado ao americano Breitbart (jornal de extrema-direita que terá tido bastante influência nas eleições norte-americanas).

Na entrevista, Dietrich, que apoiou Donald Trump e Sebastian Kurz (Ministro dos Negócios Estrangeiros austríaco e líder de um partido de direita), também criticou as políticas da Alemanha e da Áustria perante a situação dos refugiados. “Era evidente desde o início que a maior parte dos imigrantes não eram refugiados, pelo menos de acordo com a definição das Convenções de Genebra”, explicou o empresário.

Quanto ao novo site de notícias, o CEO da Red Bull disse que se tratava de uma “plataforma de investigação para contar a verdade”. As reações na Áustria foram divididas entre apoios a uma eventual entrada de Dietrich na política e o receio de uma novidade perigosa.

“Oponho-me fundamentalmente a que me digam o que pensar. Mesmo se uma pessoa suspeitar em todas as direções: na América, és considerado comunista; na Europa, és considerado conspirador ou populista de direita”, contou o empresário, na entrevista.

O novo órgão de comunicação social já começou a formar equipa. Um dos elementos é Niko Alm, membro de um partido neo-liberal austríaco que ficou conhecido por ter, na carta de condução, uma fotografia com um escorredor de esparguete na cabeça, invocando razões religiosas.

O financiamento do “Näher an die Wahrheit” virá da fundação privada do empresário. A garantia é de que será independente dos restantes negócios. No entanto, como aponta o Artnet, as crenças e posições políticas do homem mas rico da Áustria podem ter várias influências.

A Red Bull é uma marca muito forte e associada a eventos desportivos e culturais, assim como a espaços de arte. O papel ativista das obras de arte pode ficar comprometido com os modelos de financiamento atuais. Recentemente, houve protestos contra o patrocínio de museus como o Louvre, o Tate e o British Museum por parte de empresas de petróleo, por exemplo.