Europa Sobre Rodas: os países escandinavos #6

Durante o último mês, percorremos a Suécia, Dinamarca, Noruega e Finlândia.

países escandinavos europa

Depois de um mês no norte, estamos prestes a voltar novamente para o centro da Europa, desta vez para Tallin, Estónia. Ao longo dos últimos dias, visitámos os quatro países escandinavos, sobre os quais sempre ouvimos elogios pela qualidade de vida e proteção social que supostamente oferecem aos seus habitantes.

A primeira surpresa que tivemos foi a baixa população que todos estes países têm. Sem contar com a Suécia, que tem os mesmos habitantes que Portugal, tanto a Dinamarca como a Noruega e a Finlândia não passam dos 5 milhões de habitantes, o que faz com que não haja grandes cidades e se encontrem muitas florestas e pequenas vilas.

Outro aspecto muito diferente é a quantidade de lagos que vemos ao longo da caminho – pequenos, grandes, ao lado das estradas ou no meio das montanhas, estão por todo o lado. Só na Finlândia, por exemplo, existem cerca de 200 mil.

Não notámos uma grande qualidade de vida material nestes países escandinavos, uma vez que não vimos grandes casas ou carros. Não parece existir um grande ‘’fosso’’ entre ricos e pobres – mesmo as pessoas que recebem o mínimo conseguem viver sem problemas. No entanto, vimos muitos pedintes, especialmente aqui, em Helsínquia.

Os preços são mais altos, mas comparando com o que eles ganham são bastante em conta. As pessoas são um pouco frias ao primeiro contacto e não dão grandes sorrisos, mas não são antipáticas.

A zona mais bonita foi, sem dúvida, o sul da Noruega. Encontrámos lindos fiordes, lagos completamente congelados e estradas com vistas deslumbrantes. O sul da Suécia, da Finlândia e a Dinamarca são parecidos – há lagos, florestas e agricultura, e é tudo muito plano. As capitais são bonitas, embora não tenham grandes elementos históricos como outras capitais europeias. A cidade de que mais gostamos foi Helsínquia.

Apanhámos o maior ferrie que vamos apanhar nesta viagem – foi de Estocolmo a Turko, na Finlândia, 11 horas de viagem, custou-nos 150 euros pelas duas pessoas e pela Caravana.

Próxima paragem vai ser Tallin, onde vamos começar a descer para a Grécia!