E se construíssemos um muro para destruir outros?

O Festival MURO quer passar essa mensagem no mundo digital e em Marvila. De 25 a 28 de Maio.

festival muro 2017
 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

É o mote para 2017 do Festival MURO – um festival de arte urbana, organizado pela Câmara Municipal de Lisboa e pela Galeria de Arte Urbana do Departamento de Património Culturalque decorre em Lisboa entre os dias 25 e 28 de Maio.

Antes disso, na Internet, o movimento começa mais cedo com uma acção digital, que durará até ao dia 25, e que se quer projectar além fronteiras, precisando para isso do contributo de todos. Falamos do Muro Virtual erguido em festivalmuro.com e que tem como principal objectivo unir pelo traço pessoas de todo o mundo.

O Muro Virtual é uma experiência digital imersiva que pretende reinterpretar a polémica ideia de Donald Trump de construir um muro entre os EUA e o México dando-lhe um novo significado. Na experiência não faltam as terras áridas, o som dos pássaros, nem o arame farpado que, neste caso, não servirão como forma de bloqueio e repressão mas antes como pano de fundo para o talento de diversos artistas e internautas talentosos.

As primeiras pinturas ficaram a cargo dos artistas convidados para a edição física do festival, este ano subordinado ao tema “Identidade Ibero-Americano”. No total são 17 os embaixadores convidados a pintar pela causa, num misto bastante eclético de artistas ibéricos e latino-americanos. 

Alecrim (Portugal), Cix Mugre (México), Flix (Venezuela), Gleo (Colômbia), Godmess (Portugal), Guilherme Kramer (Brasil), Hazul (Portugal), Jhon Douglas (Br), Kobra (Brazil), Kruela (Portugal), LS (Portugal), Medianeras (Argentina), Miguel Brum (Portugal), STEEP (Equador), The caver (Portugal), Youth One (Portugal) e Zesar Bahamonte (Espanha).

A escolha do tema para o festival deste ano não é um mero acaso, surgindo na sequência da consagração de Lisboa como Capital Ibero-Americana da Cultura 2017. Este princípio não podia ter sido aproveitado de uma forma mais dialogante com a sociedade no geral – embora se possam levantar questões sobre a revelância do tópico na área de intervenção.

Depois de em 2016 o Festival Muro ter passado com distinção pelo Bairro Padre Cruz, a área de intervenção deste ano será Marvila, mais propriamente a zona circudante da Biblioteca Municipal onde se pintarão 15 empenas de grande dimensão e outros pequenos formatos.

O programa do festival conta ainda com uma série de iniciativas promovidas por organizações da cena graffiti, como é o caso da Underdogs e do projecto Lata 65, e não só. Para além dos riscos e pinturas haverá ainda espaço para outras formas de expressão. No campo musical teremos actuações do DJ Riot, Paus e Noiserv. Para além disso, ao longo do festival contam-se também iniciativas como workshops ou um encontro dedicado hip hop.

Confere em baixo o programa dos 3 dias de festival:

25 de Maio – quinta-feira

10h00 – Exterior

Visita Guiada (só para escolas) – GAU

Workshop de Arte Urbana (só para escolas) – Youth One

11h30 – Exterior

Visita Guiada (só para escolas) – GAU

Workshop de Arte Urbana (só para escolas) – Youth One

14h00 – Exterior

Visita Guiada (só para escolas) – GAU

Workshop de Arte Urbana (só para escolas) – Youth One

15h30 – Exterior

Visita Guiada (só para escolas) – GAU

Workshop de Arte Urbana (só para escolas) – Youth One

19h00 – Cinema – Biblioteca

Os Pixadores –  Amir A. Escandari

26 de maio – sexta-feira

10h00 – Exterior

Visita Guiada (só para escolas) – GAU

Workshop de Arte Urbana (só para escolas) – Youth One

11h30 – Exterior

Visita Guiada (só para escolas) – GAU

Workshop de Arte Urbana (só para escolas) – Youth One

14h00 – Exterior

Visita Guiada (só para escolas) – GAU

Workshop de Arte Urbana (só para escolas) – Youth One

15h30 – Exterior

Visita Guiada (só para escolas) – GAU

Workshop de Arte Urbana (só para escolas) – Youth One

17h00 – Biblioteca

Conversas – Arte Urbana – GAU e Gerador

18h00 – Concerto na empena

NOISERV – Rua Carlos Gil

19H00 – Cinema – Biblioteca

Montanha – João Salaviza

27 de maio – Sábado

10h00 – Exterior

Visita Guiada Arte Urbana GAU

10h00 – Biblioteca

Apresentação dos trabalhos dos artistas Flix / Kobra / Cesar 

10h30 – Exterior

Workshop de arte urbana – Kruella

11h00 – Exterior

Concerto Fanfarra – Orquestra original – Bandalheira

12h00 – Exterior

Visita Guiada Arte Urbana GAU

14h30 – Exterior

Workshop de arte urbana – LS

15h00 – Exterior

Visita Guiada Arte Urbana GAU

15h00 – Biblioteca

Encontro de hip-hop – H2 Tuga 

15h00 – Exterior

Concerto Fanfarra – Orquestra Original – Bandalheira

15h00 – Exterior

Aula aberta de Skate – Aragão skate school – Rua Alberto José Pessoa

15h30 – Biblioteca

Biblioteca Humana

17h30 – Exterior

Visita Guiada Arte Urbana GAU

18h00 – Exterior

Concerto na empena – DJ Riot – Rua Alberto José Pessoa

19h00 – Biblioteca

Cinema –  Bando Raparigas – Céline Sciama

28 de maio – domingo

10h00 – Exterior

Visita Guiada Arte Urbana GAU

Workshop arte urbana – Flix

10h00 – Biblioteca

Workshop Pintura de T-shirts  – LS

11h00 – Exterior

Concerto Fanfarra – Orquestra Original – Bandalheira

12h00 – Exterior

Visita Guiada Arte Urbana GAU

14h00 – Exterior

Workshop de arte urbana

15h00 – Exterior

Visita Guiada Arte Urbana GAU

15h00 – Biblioteca

Baile comentado –  B’rbicacho

15h00 – Exterior

Concerto Fanfarra – Orquestra Original – Bandalheira

15h00 – Exterior

Aula aberta de Skate – Aragão skate school – Rua Alberto José Pessoa

15h30 – Biblioteca

Biblioteca humana

16h00 – Exterior

Concerto – PAUS e O baterista – Escola Básica de Marvila

17h00 – Biblioteca

Conversas de Arte Urbana – GAU e SuperBock

17h30 – Exterior

Visita Guiada Arte Urbana GAU

18h00 – Exterior

Espectáculo – Herman José – Lisboa a Sorrir – Rua Alberto José Pessoa

19h00 – Biblioteca

Cinema – A Jaula de Ouro –  Diego Quemada-Díez

O Shifter precisa de cerca de 1600 euros em contribuições mensais recorrentes para assegurar o salário aos seus 2 editores. O teu apoio é fundamental!