Caldas Late Night: quando a arte vira uma cidade do avesso

Dias 1, 2 e 3 de Junho. Uma experiência que só percebes se experimentares.

Por estes dias, as ruas e espaços das Caldas da Rainha têm outra energia. A 21ª edição do Caldas Late Night convida mais uma vez a deitar tarde e tarde acordar. De 1 a 3 de Junho, serão noites para aproveitar com música, trabalhos multimédia, artes plásticas, design e performances.

O convite é feito pelo ESAD, sigla da Escola Superior de Artes e Design das Caldas. Durante os três dias, os alunos desta instituição vão abrir as portas das suas casas, convidando todos os caldenses e visitantes a entrar e a descobrir o trabalho que desenvolveram durante o ano lectivo. Também as ruas se vão transformar em autênticas montras de projectos artísticos e em meio de troca de impressões ao nível cultural e social.

As Caldas da Rainha enchem-se de pessoas de mapa na mão, à procura de casas e ruas onde existam coisas a acontecer. Há de tudo: de escultura a concertos, passando por colagens, pintura, fotografia, instalações… Muita festa, muita cerveja e som para todos os gostos, em pistas de dança que prolongam-se noite dentro.

Organizado sem fins lucrativos, o Caldas Late Night tem vindo a aumentar o número de participantes de ano para ano, conquistando simultaneamente destaque nacional e internacional. O evento começou em 1996 com um grupo de alunos do ESAD que procurava uma forma de expôr os trabalhos que não eram aceites pelos docentes e que efectivavam fora do recinto escolar.

A uma hora de carro de Lisboa (também é possível chegar de comboio), o Caldas Late Night é um escape à rotina habitual da cidade, aproveitando o seu talento e espaços da melhor forma e fomentando a partilha, e convivência entre uma comunidade tão vibrante como é a artística.

[fotos de Nuno Diogo/Shifter]