Estudantes do Porto criam sistema que lava a loiça em 6 minutos e sem detergente

Uma invenção de alunos do Politécnico do Porto, no âmbito do Porto Design Factory.

Estudantes do Porto sistema que lava loiça sem detergente

Estudantes do Instituto Politécnico do Porto desenvolveram uma solução baseada em tecnologia de ultra-sons e jatos de água que permite lavar a loiça em pouquíssimo tempo (6-12 minutos), poupando água e sem recorrer a qualquer detergente. A criação foi baptizada de Piavo e está a ser mostrada no Porto Design Factory.

Os jovens cientistas trabalharam durante dez meses num contexto de pós-graduação em inovação de produtos e serviços, em parceria com uma Universidade da Califórnia, nos EUA. Rui Coutinho, coordenador da Porto Design Factory, explica à agência Lusa que “se imaginarmos uma família de duas pessoas, que tipicamente demorará uma semana a conseguir encher a máquina de lavar, pode passar a ter uma solução que lhe permite lavar entre três a seis minutos toda a loiça de um jantar de forma ecológica, mais rápida e mais económica”.

Rui diz que a Piavo integra-se em qualquer banca da cozinha e adapta-se ao tamanho e necessidades do agregado familiar. O sistema promete ser rápido, eficaz e preciso, lavando os utensílios de cozinha em pouco tempo (6-12 minutos). O especialista do Politécnico do Porto batiza a Piavo de “inovação disruptiva”, isto é, são utilizadas tecnologias que “já existem em indústrias adjacentes, como a técnica de ultras-sons que existe em laboratórios e hospitais, transpondo essa inovação para contextos menos habituais/previsíveis”.

De acordo com uma aluna que integrou o projecto, os resíduos são limpos da superfície dos utensílios através “de ondas de frequência” que “criam vibração na água” e “provocam vácuo”, explica à Rádio Renascença Sara Trindade. Este processo é “bastante rápido e preciso” em comparação com o das máquinas actuais, conta.

A Piavo permite poupanças de energia substanciais, quando comparada com os gastos energéticos de uma máquina tradicional de lavar a loiça. Essas poupanças podem ser de 50%, de acordo com os testes já realizados, mas o valor pode variar consoante as casas das pessoas. A Piavo é também uma solução amiga do ambiente, pois a mesma água pode ser usada no máximo 5 vezes. A loiça pode ser lavada com ou sem detergente, com água quente ou água fria, dependendo da sujidade.

O desafio aos estudantes do Politécnico do Porto foi lançado pela Silampos, empresa de Oliveira de Azeméis que, durante os anos 1960, criou a primeira panela de pressão em Portugal. A Piavo pode ser vista até sexta-feira na Porto Design Factory, , uma plataforma experimental do Instituto Politécnico do Porto que iniciou trabalhos em 2013.