Europa sobre Rodas: Viagem pela Grécia Antiga #13

Começámos esta semana em Atenas a capital da Grécia, uma capital diferente das outras capitais europeias, muito por causa da história que tem.

grécia antiga Europa

Começámos esta semana em Atenas, capital da Grécia, uma capital diferente das outras capitais europeias, muito pela sua história, principalmente marcada por ter sido território turco durante muitos anos.

Atenas está rodeada de montanhas por um lado e pelo mar de outro. Quando se olha para a cidade de uma vista elevada só se vê casas brancas, a maior parte com, no máximo, 3 ou 4 andares, e quase todas com telhado plano. Tem 3 milhões de pessoas, o que lhe dá muita vida, à qual se juntam os muitos turistas que se vêem nas ruas. Há muitos mercados, lojas e alguns monumentos, sobretudo antigos, como a Acrópole, o teatro de Dionísio, o templo de Zeus e outros. É lá também o primeiro Estádio Olímpico da era moderna, que recebeu os jogos em 1896.

Começámos por visitar a Acrópole, um dos monumentos mais conhecidos do mundo antigo. Foi uma experiência muito interessante embora tenhamos achado que as obras de requalificação não foram bem feitas. Vêem-se muitos andaimes e gruas montados, já com ferrugem por não serem usados há muito tempo. O valor de entrada são 30 euros, embora os estudantes da UE não paguem.

Depois de Atenas seguimos para o estreito de Corinto, um canal feito pelo homem para facilitar a travessia de barcos. É muito engraçado de se ver porque é um canal estreito onde os barcos passam entre duas paredes enormes.

Visitámos ainda outros dois monumentos muito importantes da Grécia antiga, o teatro de Epidauro e a cidade de Micenas. O teatro de Epidauro, é um dos maiores e mais bem conservados teatros da antiguidade. Tem lugar para quase 14 mil pessoas e uma acústica impressionante.

A cidade de Micenas, era a ‘’capital’’ de uma civilização com o mesmo nome que se desenvolveu na Grécia há 3500 anos, antecedendo os gregos ‘’clássicos’’. Aqui é possível ver como era a cidade na época. Embora esteja em ruínas, o espaço dá uma ideia muito clara de como eram as coisas.

É aqui que se encontra a ‘’Lion Gate’’, a porta para a cidade, com 3 500 anos, decorada com dois leões na parte superior e visível desde a sua construção, algo que nem sempre é comum, porque muitos monumentos antigos que se vêem, ou foram destruídos ou requalificados durante as centenas de anos que se passaram desde a sua construção a Grécia.

Além de visitarmos todos estes monumentos, temos basicamente ido de praia em praia. É uma sensação muito boa poder parar em qualquer praia que nos apeteça, dar um mergulho e continuar. Ou dormir por lá, sempre quase a tocar na água, isto porque aqui a maioria das praias não tem nada se separe a areia, ou as pedras, da estrada.