Jay Z sampla o Quarteto 1111 de José Cid e Tozé Brito em nova faixa

"Todo o Mundo e Ninguém", tema de 1970, foi usado numa faixa do novo álbum do rapper norte-americano.

jay z José cid

Saiu hoje o novo álbum de Jay Z. Chama-se 4:44, é um exclusivo TIDAL no que toca a streaming e tem uma surpresa especial para os fãs portugueses: num dos temas, “Marcy Me”, há um sample de “Todo o Mundo e Ninguém”, música do grupo Quarteto 1111, ao qual pertenciam José Cid e Tozé Brito.

O sample utilizado por Jay Z remonta a uma fase anterior da carreira de José Cid, que provavelmente muitos já esqueceram. Como se pode comprovar pela capa do registo, o Quarteto 1111 foi uma banda na linha da frente do seu tempo e talvez por isso de aceitação difícil. Recorde-se o contexto vivido em Portugal nos anos 1960 e 1970, do qual José Cid foi uma vítima esquecida, com inúmeros registos proibidos pela censura e outros caídos em esquecimento.

“Todo o Mundo e Ninguém” foi editada em 1970 como single e posteriormente, em 1993, incluída no álbum A Lenda de Quarteto 1111. A letra é baseada em Gil Vicente, poeta e dramaturgo inconfundível da história cultural portuguesa. Foi o primeiro tema que Tozé Brito escreveu para o Quarteto 1111, a convite de José Cid, conforme recorda à revista Blitz. “Quando saí do Pop Five Music Incorporated, o José Cid fez-me logo um desafio: vais deixar de escrever em inglês, tens aqui este texto do Gil Vicente, faz uma música para isso. Depois, acabámos a trabalhar a letra e o arranjo juntos. Foi o primeiro tema que escrevi para o Quarteto 1111″, disse.

O pedido para usar a música apareceu na Sociedade Portuguesa de Autores há seis semanas, acrescenta – “Demos logo autorização, negociámos uma percentagem… simpática. E recebemos à cabeça uma verba simbólica.”

“Marcy Me” é o penúltimo tema de 4:44 e, tal como as restantes faixas, foi produzida por No I.D, o dono da editora Def Jam, que carimba o novo álbum de Jay Z. Podes ouvir a faixa aqui.