A beleza da bitcoin se existisse em papel

Os desenhos foram criados por um algoritmo a partir dos números que identificam os blocos de bitcoin.

A bitcoin não existe em papel. E esse foi precisamente o ponto de partida de Matthias Dörfelt, um artista de Los Angeles que decidiu criar representações palpáveis da moeda virtual. Matthias seleccionou 64 blocos do blockchain de bitcoins e usou um algoritmo para criar 64 notas.

Esse algoritmo traduziu o número que identifica cada um dos blocos (hash) num desenho colorido e abstrato, mas bonito. As notas podem parecer as notas que estamos acostumados a ver mas são fundamentalmente diferentes. Em vez de um número a indicar quanto vale no canto superior direito, aparece um número que representa o volume de transferências, isto é, quantas transacções ocorreram durante um determinado intervalo de tempo e que foram armazenadas naquele bloco.

Nas notas vais encontrar outros pormenores curiosos. Por exemplo, a assinatura “Satoshi”, que se refere à pessoa ou grupo anónimo que terá inventado o bitcoin. Outro detalhe são os rostos algo geométricos e sombrios, que remetem não só para o anonimato do criador(es) da moeda, mas também para o anonimato que a bitcoin permite no seu lado mais sombrio (Dark Web).

O Shifter é gratuito e sempre será. Mas, se gostas do que fazemos, podes dar aqui o teu contributo.