Europa Sobre rodas: Viagem de regresso #16

Passados quase 9 meses de viagem estamos quase a chegar ao fim da nossa grande aventura pela Europa.

 

Passados quase 9 meses de viagem, quase no fim da nossa grande aventura pela Europa, estamos neste momento em Barcelona e durante os próximos 3 dias vamos fazer os 1300 quilómetros que faltam até Massamá.

Nestas últimas duas semanas estivemos em Itália e no Sul de França. Tínhamos pensado ir até ao Sul de Itália mas como tivemos que antecipar 1 mês o nosso regresso resolvemos ver só as cidades que queríamos mesmo muito conhecer e descer até São Marino. Na prática fomos a Veneza, São Marino, Florença, Pisa e a uma região chamada Cinque Terre.

Gostámos bastante de Veneza porque é uma cidade completamente diferente de todas as outras a que já fomos. Não há carros nem motas, nem nenhum outro veiculo com rodas na cidade, nem bicicletas se veêm; não há estradas, só canais, isso significa que todos os veículos de bombeiros, polícia, recolha de lixo, ambulâncias, táxis, são.. barcos. 

Veneza, Itália

A cidade tem uma arquitetura muito interessante marcada pelos canais e pela zona mais central. Recebe muitos turistas mas é grande o suficiente para podermos andar em muitas ruas sem praticamente ninguém, o que também nos confortou.

A única coisa de que não gostámos, é a exploração do turismo que é feita por toda a cidade. Por exemplo, um passeio de gôndola custa 80 euros por meia hora; Um bilhete para andar de barco, que é única maneira de se deslocar na cidade (como se fosse um autocarro urbano), custa 7,5 euros; Um mapa da cidade no ponto turístico, custa 3 euros; nunca, nas dezenas de cidades que já visitámos, sentimos tanta exploração do turismo como em Veneza.

Veneza, Itália

De seguida fomos para São Marino, um estado independente dentro de Itália, que se situa a 10km do Mar Adriático, no cimo de um monte. O país mais parece uma vila medieval, e está todo muito arranjado, tem edifícios históricos muito interessantes, como as torres da cidade.

San Marino

Florença foi a paragem seguinte e uma das cidades que mais gostámos. Está muito bem restaurada, com muitas estátuas nas ruas de alguns dos artistas italianos mais conceituados (embora a maior parte das obras de arte esteja em museus e as das ruas sejam cópias); Tem uma ponte antiga, com lojas por cima, a única ponte que sobreviveu à segunda guerra mundial e uma basílica muito interessante; Está cheia de turistas, o que na nossa opinião acaba por tirar um pouco do interesse à cidade, mas como nós próprios o somos, não podemos criticar.

Florença, Itália

De seguida passámos por Pisa, para confirmar se a torre estava mesmo inclinada. É verdade, está mesmo, tanto que parece que vai cair. Esclarecida a dúvida, arrancámos para a nossa última paragem em Itália, a chamada Cinque Terre. Cinco vilas, situadas em encostas, junto ao mar, sem dúvida um sitio muito especial.

Pisa, Itália

Fomos a duas dessas vilas, Manarola onde dormimos com a caravana e a Riomaggiore. As vilas são muito bonitas, em especial Manarola, embora nesta altura do ano tenham muitos turistas, existem muitos percursos de caminhadas entre as vilas, de 2, 4, 6h… que são lindos, junto ao mar, por entre as vinhas, com uma beleza ímpar. Foi um sitio de que gostámos muito mesmo.

Manarola, Cinque Terre

Depois seguimos para França, onde fizemos a costa praticamente toda. Passámos pelo Mónaco, mas era quase impossível estacionar a caravana, por isso o que tinha de interessante vimos da janela.

O Sul é muito turístico, o que torna complicado parar com caravana. Há muitos sinais a dizer que as caravanas não podem parar ou dormir, ou estacionamentos com limite de altura… Estivemos em algumas praias bonitas, e no maior delta da Europa, uma zona chamada Camargue, que gostámos muito, com praias praticamente desertas e onde vimos flamingos selvagens.

França

Não tínhamos muito tempo por isso saltámos algumas zonas e cidades que queríamos ter ido. No geral não achámos o Sul de França nada de especial, embora, como já dissemos, tenha algumas praias bonitas, tem muitas cidades, o que para fazer turismo de autocaravana não é muito interessante.

França

Neste momento estamos em Barcelona, uma cidade que já tínhamos visitado e de que gostamos muito. Amanhã começa o verdadeiro ‘’regresso a Portugal’’, vamos fazer 1300 km em três ou quatro dias, e em princípio chegamos na quarta-feira.

Gostaste do que leste? Quanto vale conteúdo como este?

Trabalhamos todos os dias para te trazer artigos, ensaios e opiniões, rigorosos, informativos e aprofundados; se gostas do que fazemos, apoia-nos com o teu contributo.