Uma solução para o desperdício de comida nos restaurantes

ResQ Club é uma aplicação que oferece aos usuários a oportunidade de adquirir refeições em restaurantes nas proximidades que seriam deitadas fora.

 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

A Finlândia, e o norte da Europa no geral, está definitivamente à frente do resto do mundo quando se trata em encaixar economia e sustentabilidade na mesma frase. Helsínquia, apresenta-se como uma das capitais mais atractivas no panorama start up europeu – a par de Berlim, Lisboa e Amesterdão – em relação às tecnologias digitais e de sustentabilidade, relacionadas sobretudo com aplicações para smartphones.

Quando reflectimos sobre ideias inovadoras contra o desperdício de recursos cada vez mais o primeiro impulso é associar tecnologias digitais, em contraponto com as enormes maquinarias que imaginaríamos outrora. Os países nórdicos têm percorrido um caminho porreiro nos último anos em direção à sustentabilidade, e particularmente à lógica de economia circular. Um conceito económico que assenta na redução, recuperação, reutilização e reciclagem de matérias e produtos, que se opõe ao conceito de economia linear, caracterizada pela constante extração de matéria prima com o objectivo de produzir mais e mais, promovendo o esgotamento de recursos e a destruição de diversos ecossistemas.

A França também tem sido um dos países na linha da frente contra o desperdício, tornando-se no primeiro país do mundo a impedir os supermercados de deitar fora ou de destruir comida não vendida forçando-os, em alternativa, a doá-la para instituições sociais ou bancos de ajuda. Em Portugal também existe um projecto de saudar no que toca a estas questões, nomeadamente o Fruta Feia, uma cooperativa que trabalha com produtores locais espalhados por todo o país, onde recolhem as frutas e hortaliças, que por serem menos bonitas não foram adquiridas pelas cadeias de supermercados.

A restauração é um dos sectores onde os desperdícios alimentares mais facilmente podem ser evitados recorrendo a plataformas digitais. Ciente disso, a start up finlandesa ResQ Club desenvolveu uma aplicação que oferece aos usuários a oportunidade de adquirir refeições em restaurantes nas proximidades que possivelmente seriam desperdiçadas. Desde 2016, a empresa foi responsável por reconduzir mais de 65 mil quilos em refeições que seriam deitadas fora.

Para utilizar este serviço é necessário criar uma conta no ResQ Club, onde através do browser ou aplicativo de smartphone (disponível no Android e iOS) pode saber que refeições estão disponíveis, onde, a que horas e qual o valor. As refeições são geralmente vendidas com descontos que variam entre os 40-70% em relação ao preço de tabela. A compra e respectivo pagamento é feito através do aplicativo, sendo que chegando ao estabelecimento é só pegar e bazar. Para o cliente esta aplicação surge como uma alternativa bastante prática e de preço acessível. Para o restaurante, é benéfico pois possivelmente seria uma refeição que não seria vendida e por ventura desperdiçada.

Em um ano, a ResQ Club já está presente em 6 países. Para além da Finlândia, esta também presente na Suécia, Estônia, Holanda, Alemanha e Malásia. Bem, por cá ficamos à espera de poder provar e comprovar os benefícios desta solução.

P.s.: Malta da restauração, comecem a enviar os vossos e-mails para o pessoal da ResQ Club.

Se não conseguirmos aumentar o número de patronos, a 2ª edição da revista será a última, e o Shifter como o conheces terminará no final de Dezembro. O teu apoio é fundamental!