O CEO do Instagram tem um conselho anti-procrastinação

Não sabemos se é copiado do Snapchat...

“Se não queres fazer algo, compromete-te a fazê-lo pelo menos 5 minutos. Depois desses 5 minutos, acabas por fazer tudo.” O conselho é de Kevin Sytrom, CEO do Instagram, e foi dado numa entrevista ao site Axios, que lhe perguntou sobre o seu life hack preferido.

Já todos tivemos de fazer coisas que não nos entusiasmam minimamente. Seja na escola, na faculdade ou mais tarde no trabalho, acontece recebermos tarefas que não nos apetece minimamente fazer mas às quais não podemos escapar. O melhor é despachá-las logo mas começar é o mais complicado. E falo por experiência própria.

Dou voltas em casa, invento tarefas para fazer no quarto, vou ao frigorífico mais vezes que o habitual, perco-me na internet ou a ver televisão. Só mais uma pequena distracção e a seguir ataco em força, penso eu em falso. Às vezes, recorro a pequenos truques, como desligar a internet ou sair de casa. A procrastinação pode afectar-nos a todos, não precisamos de ser o CEO do Instagram para sentirmos dificuldade em arrancar numa tarefa secante.

“A maioria da procrastinação é causada ou por medo ou por conflito”, diz Christine Li, uma psicóloga especializada nesta temática, citada pelo Quartz. Mesmo que estejamos motivados para completar uma tarefa, o medo de falhar, da crítica ou do stress pode fazer-nos retrair. Queremos acabar o projecto mas não queremos que esse medo se torne real. “Este conflito”, explica, “faz-nos sentir incapazes de avançar, o que explica que à vezes procrastinamos mesmo quando não faz sentido procrastinar”.

A regra dos 5 minutos diminui a inibição inicial que pode existir e dá-nos uma sensação de controlo sob nós e o nosso trabalho – ao fim dos 5 minutos, podemos reconsiderar se queremos continuar ou não a tarefa que começámos, ou seja, teoricamente não nos sentimos forçados a fazê-la. É o que explica Julia Moeller, especialista em inteligência emocional, ouvida também pelo Quartz.

Ao fazer um sprint de 5 minutos, estamos também a transformar uma actividade aborrecida em algo rápido e excitante. É um desafio a nós mesmos para terminar a tarefa em pouco tempo, para darmos tudo naquele curto intervalo de tempo. Uma vez tendo começado a tarefa, ganhamos uma atitude positiva, explica Moeller. Entramos no ritmo e o tempo acaba por fluir bem mais rápido.