A primeira rodada do Web Summit

Os anúncios são às centenas, literalmente, e a missão não é nada, mesmo nada fácil.

Este artigo é gratuito como todos os artigos no Shifter.
Se consideras apoiar o nosso trabalho, contribui aqui.

Foi provavelmente o maior acontecimento do mundo empresarial no nosso país no ano passado. Este ano, o Web Summit volta para a 2ª de 3 edições programadas para a capital portuguesa. Com uma filosofia semelhante à do ano passado, a edição de 2017 parece não trazer grandes novidades. Até agora, apenas dois novos palcos, um de Perguntas e Respostas e outro dedicado à indústria dos videojogos, foram anunciados em soma ao plano das festas da edição que passou.

Como já se torna hábito, os anúncios são às centenas, literalmente, e a missão de descortinar nomes e figuras interessantes no meio do certame não é nada, mesmo nada fácil. É por isso que começamos desde já e numa altura em que apenas foram anunciados 250 oradores – cerca de 1/4 do número final – a sinalizar e investigar as conferências que vão realmente valer a pena.

Apesar de parecer aborrecido, supérfluo ou demasiado trabalho para aproveitar um festival, a experiência do Web Summit assim o determina. Com tantos palcos e tantos nomes sonantes é demasiado fácil perdermo-nos entre talks sem interesse nenhum, com um âmbito demasiado comercial ou simplesmente demasiado mediáticas. Quem assistiu a Bruno de Carvalho, Ronaldinho ou Figo na edição passada, este ano pode continuar na mesma onda ou aproveitar a passagem de alguns dos criativos e empreendedores mais inspiradores do mundo para aprender qualquer coisinha.

Da nossa parte, depois de no ano passado só muita pesquisa nos ter valido uma boa dezena de conferência e dos diversos testemunhos de desilusão face aos oradores, continuaremos a adicionar nomes à lista e a riscar outros à medida que mais informações surjam sobre o assunto que até palco os leva. Algumas experiências anteriores dizem-nos que programadores e designers protagonizam geralmente animadas apresentações, já investidores e CFO’s… fica ao interesse de cada um.


Geeks

Abrimos a seleção com as escolhas para geeks, sem preconceito, no melhor e mais elogioso sentido da palavra. Para aqueles que gostam de todo o universo que envolve as novas tecnologias e que, provavelmente, serão a maioria no Web Summit. Desde programadores a gestores, por esta área pode passar um pouco de tudo. Destacam-se talvez os anúncios de Mark Mayo, da Mozilla e de Stewart Butterfield do Slack, duas empresas que têm tido um excelente desempenho no último ano. Mas nomes como Massimo Banzi em representação da tecnologia Arduino ou Till Faida para falar sobre as problemáticas da publicidade online são nomes que representam quase sempre boas conversas e bastante aprendizagem.

Massimo Banzi  ?

Co-Fundador – Arduino

Suiça

Mark Mayo ?

Vice Presidente Sénior – Mozilla

E.U.A.

Till Faida ?

Fundador & CEO – Adblock Plus

Alemanha

David Karp ?

Fundador – Tumblr

E.U.A.

Stewart Butterfield ??

Co-Fundador & CEO – Slack

Canadá

Steve Huffman ?

CEO – Reddit

E.U.A.


Comunicação & Editorial 

Pode parecer tendência de profissão mas não, a verdade é que as talks sobre jornalismo online têm ganho cada vez mais relevo e interesse. Um reflexo disso é o role de nomes já apresentadas provenientes deste campo. Desde a CEO do Guardian nos Estados Unidos até ao responsável pela emissão inglesa da Al Jazeera, este promete ser um dos temas mais sumarentos em debate.

Evelyn Webster ?

US CEO – The Guardian

E.U.A.

Joseph Kahn ?

Managing Editor – The New York Times

E.U.A.

Owen Jones ✌️

Contributor – The Guardian

Reino Unido

Giles Trendle ??

Managing Director – Al Jazeera English

Qatar

Pete Cashmore ?

Fundador & CEO – Mashable

E.U.A.

Maxime Saada  ?

CEO – CANAL+ GROUPE

França


 Cool 

Estas são aquelas que valem para qualquer um – mesmo. As apresentações protagonizadas por criativos são geralmente bastante abrangentes na sua abordagem o que, em complemento com os visuais apelativos, as torna bastante acessíveis. Mesmo que não seja um tema directamente relacionado com a tua área profissional podes ter a certeza que qualquer um destes nomes te pode inspirar. Os destaques vão sem dúvida para o outsider José Neves – que aqui está em destaque por ser CEO de uma das empresas portuguesas mais bem sucedidas das últimas décadas – e para Carl Addy – um destaque inevitável para quem já viu a malta da The Mill em palco.

José Neves??

Fundador & CEO – Farfetch

Portugal

Carl Addy ??

Chief Creative Director – The Mill

Reino Unido

Jez Frampton ??

Global CEO – Interbrand

Reino Unido

Nick Law ☝️

Vice Chairman & Chief – R/GA

E.U.A.

John Hegarty ?

Co-Fundador & Criativo – BBH & The Garage Soho

Reino Unido

Investimos diariamente em artigos como este.
Precisamos do teu investimento para poder continuar.