“Estas bichas matam fascistas”: a insurreição Queer contra o Daesh

A International Revolutionary People's Guerrilla Forces (IRPGF) é uma organização de voluntários internacionais que luta ao lado das tropas curdas também conhecidas como YPG..

Foi anunciada a criação da primeira unidade militar LGBTQ+ de combate ao Daesh, em território sírio. A Queer Insurrection and Liberation Army (pronuncia-se Tequilla) estabeleceu-se como uma sub-divisão do grupo IRPGF, um grupo de anarquistas e anti-fascistas que recém estabelecido na zona de Rojava – zona também conhecida como Curdistão Sírio.

International Revolutionary People’s Guerrilla Forces (IRPGF) é uma organização de voluntários internacionais que luta ao lado das tropas curdas também conhecidas como YPG ou Unidades de Protecção Popular, na zona norte da Síria. A sub-divisa foi criada em resposta às atrocidades e à discriminação praticadas pelo Daesh, em particular contra a comunidade LGBTQ. Esta tem sido fortemente reprimida e perseguida em zonas de domínio do grupo terrorista, que considera a homossexualidade punível com pena de morte.

No documento que oficializa a formação desta unidade, o grupo explica mais pormenorizadamente os motivos que levaram ao seu estabelecimento – como as imagens de homicídios arbitrários a indivíduos gays, cometidos pelo Daesh – mas fazem questão de deixar dois apontamentos importantes: um primeiro para realçar que o seu inimigo não é directamente o Daesh mas sim a narrativa heteronormativa e paternalista que, neste conflicto em específico, se evidencia vitimando muita gente; um segundo contra as generalizações que forçam em colar a homofobia e a transfobia aos muçulmanos em geral.

De assinalar que a junção desta organização às tropas curdas deriva de um encontro no seu posicionamento. Os curdos são um dos maiores povos sem estado no mundo, que se distingue muitas vezes dos países onde estabelece comunidades (Síria, Iraque e Turquia) por políticas de igualdade e por não proibir a homossexualidade – embora a sua aceitação social continue a ser dúbia especial no chamado Curdistão Iraquiano.