Estar offline melhora a qualidade de vida, quem o diz é Aziz Ansari

Um conselho do criador de Master of None. E por uma boa causa.

 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

A internet pode ter sido terreno fértil para Aziz Ansari plantar a sua crescente popularidade como criador, actor e comediante, mas agora, pouco tempo depois do lançamento da segunda temporada de Master Of None, Aziz Ansari colocou-se offline e garante ter mudado a sua vida para melhor. Foi numa grande entrevista à GQ que o criador e protagonista de Master Of None revelou a sua opção mas já em 2012, Aziz, falava no assunto:

A entrevista surge em sequência do sucesso da série e da aclamação dos fãs – especialmente online – acabou por ser a oportunidade perfeita para Aziz Ansari partilhar a sua visão sobre o uso das tecnologias e surpreender os mais distraídos, ou mais viciados. Se Dev Sash, o seu personagem na série, é um tipo de 30 anos perfeitamente “normal”, Aziz, de 34, conta em entrevista como melhorou substancialmente a sua qualidade de vida ao apagar os broswers e as redes sociais do seu desktop e smartphones, respectivamente.

Numa (quase) dissertação tripartida, Aziz reflecte sobre o vício das redes sociais e até sobre a crise do jornalismo com uma lucidez invejável.

“Sempre que vemos se há novas publicações no Instagram ou cada vez que vamos ao The New York Times para ver se há algo novo, não é pelo conteúdo… É só para ver uma coisa nova. Ficamos viciados nessa sensação e perdemos o controlo. A única forma de lutar e reconquistar o controlo é tirar-mo-nos desta equação e remover todas estas coisas. Eventualmente acabas por esquecer. Já nem queres saber.” disse Aziz na entrevista.

Quanto ao estado do jornalismo Aziz foi peremptório na sua comparação. Para o actor, às vezes parece que estamos a ler rumores de uma série de Wrestling, olhando ao nível de sensacionalismo. Entre passagens, Aziz, deixa a ideia de que esta mudança não deverá ser definitiva. É vista por si como um forcing para reconquistar a sua vida pessoal, numa altura em que o sucesso profissional foi atingido.

“Estou a tentar amadurecer e evoluir como pessoa. Até cortar na internet e nas redes sociais, ler mais, são bons passos na direção certa.”

Por agora, depois de meses neste regime, e confiando nas palavras de Aziz, parece estar a resultar – um dos factores de sucesso referidos na entrevista é o tempo extra para ler (livros a sério) e a capacidade que isso lhe têm dado de reter efectivamente informação.

Se não conseguirmos aumentar o número de patronos, a 2ª edição da revista será a última, e o Shifter como o conheces terminará no final de Dezembro. O teu apoio é fundamental!