Reverence Santarém: o mesmo amor, num novo lugar

Depois de três edições bem sucedidas, o Reverence decidiu mudar de casa.

Até 2014, Valada era uma pequena terra até então desconhecida do comum não-ribatejano. Uma aldeia inserida nas paisagens áridas do concelho de Cartaxo, à beira-Tejo, que saltou do anonimato directamente para o epicentro do revivalismo psych. Nick Allport, mentor das Cartaxo Sessions, (que já há uns bons anos reuníam nomes que dificilmente apanharíamos numa sala de concertos de Lisboa), catapultou o conceito para um festival onde se pudessem condensar as vias alternativas do rock (stoner, psych, noise, shoegaze, post-rock/metal, etc). Depois de três edições bem sucedidas, o Reverence decidiu mudar de casa.

#tbt The Black Angels at Reverence 2014. Photo: Natacha Monteiro

Publicado por Reverence Portugal em Quinta-feira, 10 de Agosto de 2017

#tbt Bizarra Locomotiva at Reverence 2015. Photo: Natacha Monteiro

Publicado por Reverence Portugal em Quinta-feira, 17 de Agosto de 2017

Em meados do mês de Maio, depois dos festivais de grande dimensão já terem apresentado o “melhor cartaz de sempre”, com a mesma variedade de arroz, ainda o Reverence se mantinha em silêncio, alimentando o suspense sobre o cartaz ou a especulação da sua possível não-realização. Tratava-se pois de um mero compasso de espera durante este processo de transladação do festival para um local com melhores condições para o público. O lugar é então a Ribeira de Santarém e, segundo a organização, teria sido o ponto escolhido no rascunho inicial do Reverence, que assim deixou cair o Valada, sem nunca perder o carinho por Valada.

Depois de uma primeira edição inigualável – sim, até pelos próprios – e de duas edições seguintes bem-sucedidas, o pano de fundo do festival vai-se pintar de tonalidades menos secas e mais vivas, em planícies menos espinhosas e mais verdes. Dia 8 e 9 de Setembro, as cores negras do rock vão embelezar as lezírias ribatejanas, e no comando do cartaz vão estar nomes como Mono, monumental banda japonesa de post-rock; Gang Of Four, quarteto de referência do post-punk inglês; Bo Ningen, outra participação nipónica, mas no campo do noise; ou The Underground Youth, grupo de shoegaze com origens em Manchester e Berlim. Para além dos muitos outros nomes presentes no ramo internacional, a presença portuguesa vai estar em força nesta edição: 10000 Russos, os retornados Löbo, Moonspell, Asimov & The Hidden Circus, Pás de Problème, Conjunto!evite, entre muitos outros.

Até ao dia de amanhã os bilhetes de dois dias estarão a 55 euros, subindo então para 65 euros. Os bilhetes diários com campismo estão também a 35 euros até 31 de Agosto, subindo na sexta-feira para 40 euros.

 

Texto de: Joana Canela

Editado por : João Ribeiro