A violência do furacão Maria relatada pelo Primeiro-Ministro de Dominica no Facebook

O furacão Maria atingiu a pequena ilha de Dominica e o Primeiro-Ministro fez no Facebook um relato quase em tempo real da violência da Natureza.

 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

A pequena ilha francesa de Dominica, nas Caraíbas, estava de alerta esta segunda-feira: o furacão Maria iria passar por aquele país insolar e muito provavelmente deixar um severo rasto de destruição. Assim aconteceu. A tempestade não perdoou, nem mesmo a casa do Primeiro-Ministro.

Roosevelt Skerrit é membro activo no Facebook e foi através da maior rede social do mundo que fez um relato, quase em tempo real, da violência do furacão Maria. Dominica estava preparado para o furacão: escolas fechadas, serviços governamentais a mínimos, sector privado aconselhado a fechar. No fundo, foi declarado “public holiday”, ou seja, tolerância de ponto para o sector público.

“Os ventos são implacáveis! Sobreviveremos pela graça de Deus!”, partilhou à uma da manhã desta terça-feira, hora de Lisboa. “Não sabemos o que está a acontecer lá fora. Não ousamos olhar lá para fora. Tudo o que estamos ouvindo é o som de coisas a voar. O som da fúria do vento. Tudo enquanto oramos pelo seu fim!”, acrescentou 20 minutos depois.

Pouco depois escreveu: “De certeza que ninguém dorme em Dominica. Acredito que minha residência pode ter sofrido algum dano.”

As publicações de Roosevelt Skerrit que se seguiram dão conta dos danos que o furacão Maria provocou na sua residência oficial. “Duro! Duro! Duro”, publicou quando em Lisboa eram quase 2 da manhã. “O meu telhado foi-se. Estou completamente à mercê do furacão. A casa está a ser inundada”, partilhou às 2h21. “Fui salvo”, disse alguns minutos depois num post que já conta com mais de 4 milhões de reacções à hora de escrita deste artigo.

O furacão chegou a Dominica com ventos máximos até 260 quilómetros por hora e intensidade 5 (a maior da escala), informou o Centro Nacional de Furacões norte-americano (NHC). O furacão segue agora para a ilha Guadalupe e, de acordo com a mesma fonte, a sua intensidade deverá oscilar entre as categorias 4 e 5 ao longo dos próximos dois dias.

Pelas 6 horas desta terça-feira, já com um ambiente mais calmo, Roosevelt Skerrit fez um breve ponto de situação no seu Facebook: “O vento levou o telhado das casas de quase todas as pessoas com as quais falei. O telhado da minha própria residência oficial foi um dos primeiros afectados”, escreveu. Os estragos são “devastadores, de facto incompreensíveis”, acrescentou. “O meu maior receio é que durante a manhã acordemos para a notícia de danos graves e possíveis mortes em resultado de deslizamentos de terras provocados pelas chuvas persistentes.”

Na mesma publicação, feita quando em Dominica ainda era segunda-feira, o Primeiro-Ministro do país diz que o foco agora é “resgatar os presos e garantir assistência médica para os feridos” e pede “todo o tipo de ajudas”.

Se não conseguirmos aumentar o número de patronos, a 2ª edição da revista será a última, e o Shifter como o conheces terminará no final de Dezembro. O teu apoio é fundamental!