Morreu Hugh Hefner, o fundador da revista Playboy

Hugh Hefner será sepultado ao lado de Marilyn Monroe.

(Photo by Dan Kitwood/Getty Images)
 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

Hugh Hefner, fundador da Playboy, morreu a noite passada aos 91 anos, na mansão Playboy, em Los Angeles. Desde 1971 que vivia rodeado por mulheres na sua mansão, manifestando o seu espirito livre de “príncipe hedonista” a cada aparição. Após uma vida de ostentação dedicada aos prazeres e aos excessos, é sem dúvida daquelas figuras sobre a qual é consensual afirmar: “foda-se, este aproveitou a vida.”

A primeira edição da Playboy foi lançada em 1953, com Marilyn Monroe como a primeira Playmate. Na época, Hugh Hefner reconheceu a importância da artista para o sucesso da primeira edição, onde foi publicada uma fotografia de Marilyn Monroe nua.

Nos últimos 64 anos diversas foram as Playmates convidadas, constando nas história da revista nomes bem conhecidos, como Cindy Crawford, Kim Basinger, Pamela Anderson, Madonna, Sharon Stone, Naomi Campbell, Carmen Electra, Drew Barrymore ou Kim Kardashian, entre muitas outras. A sua mestria e visão criaram um autêntico império que tornou Hefner num homem bastante rico e influente nas Estados Unidos.

Contudo, a Playboy nunca quis ser apenas uma uma revista com mulheres nuas. A qualidade dos artigos publicados, fruto de diversas crónicas assinadas por nomes como Hunter S. Thompson, John Updike, Ian Fleming, Joseph Heller, Margaret Atwood ou Jack Kerouac, tornaram o que facilmente poderia ser uma editoria de textos poucos densos e fotografias de mulheres nuas num conteúdo editorial único.

De acordo com um comunicado divulgado pela revista, Hugh Hefner morreu na noite desta quarta-feira, na Califórnia, Estados Unidos, rodeado pela família. Será sepultado ao lado de Marilyn Monroe, em Los Angeles, na Califórnia, onde terá comprado uma campa lado a lado com a da atriz por 75 mil dólares. No mesmo cemitério estão enterradas outras personalidades da cultura norte-americana, como Dean Martin, Roy Orbison e Truman Capote.


“O meu pai viveu uma vida excepcional e importante como pioneiro cultural e de media e uma voz principal por detrás de alguns dos movimentos sociais e culturais mais importantes do nosso tempo na defesa da liberdade de expressão, dos direitos civis e da liberdade sexual. Ele definiu um estilo de vida e um espírito que estão no coração da marca Playboy, uma das mais reconhecidas e duradouras da história”, afirmou em comunidado Cooper Hefner, filho de Hugh Hefner e Chief Creative Officer da Playboy Enterprises.

O Shifter precisa de cerca de 1600 euros em contribuições mensais recorrentes para assegurar o salário aos seus 2 editores. O teu apoio é fundamental!