O algoritmo que transforma o teu nome em música clássica

O algoritmo aparenta ser capaz de muito mais; porém, nesta fase só consegue transformar poucas palavras em curtas melodias.

 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

Possivelmente nunca pensaste que o teu nome pode ter uma correspondência em versão música clássica. Bem, é normal – nós também nunca tínhamos pensado nisso até nos cruzarmos com um site chamado Clarallel. Desde então, não pensamos em mais nada. Temos estado ocupados a compôr partituras com todos os nomes da redacção. Um passatempo que só é possível graças a um algoritmo criado por Kai Konishi-Dukes.

Se não estás a perceber a lógica, é mais simples do que parece. Substituir as notas da partitura por letras foi uma ideia introduzida na música clássica pelos compositores ocidentais, que, apesar de só terem encontrado correspondência até ao G, têm procurado lógicas para introduzir as restantes letras. Por exemplo Robert Schuman criou uma melodia inspirada no nome da sua esposa, Clara, utilizando correspondências melódicas para os caracteres em falta: Clara – C l a r a – C (#) BAG (#) A.

É seguindo a mesma lógica que funciona o algoritmo de Clarallel – fazendo correspondências lógicas para as letras excedentes. Assim, todos nomes tem uma correspondência; aliás, não uma, mas duas correspondências.

O algoritmo aparenta ser capaz de muito mais; porém, nesta fase só consegue transformar poucas palavras em curtas melodias. A título de curiosidade, acrescentar que todo o o software é desenvolvido na inovadora linguagem de programação Python.

O Shifter precisa de cerca de 1600 euros em contribuições mensais recorrentes para assegurar o salário aos seus 2 editores. O teu apoio é fundamental!