Submarinos americanos passarão a usar comandos Xbox

A marinha norte-americana planeia dar uso aos comandos Xbox num cenário mais realista.

Foto de: Oli Jack Johnson/Flickr

Os mais recentes submarinos americanos vão passar a usar tecnologias da Xbox. Mais concretamente, os comandos da consola vão poder controlar os periscópios dos submarinos USS Colorado e da classe Virginia a partir de novembro do presente ano.

Numa altura em que se denota uma escalada de tensão militar entre Estados Unidos e Coreia do Norte, a acção militar americana continua a ser tema de conversa. Contudo, desde o século passado que a nação das “stars and stripes” é famosa pelo progresso tecnológico-militar. O passo mais recente caminha na adaptação dos controlos dos periscópios da frota de submarinos da Marinha. Até agora, o manípulo utilizado – um “joystick” semelhante ao de um helicóptero – foi alvo de queixas de vários elementos desta secção da armada norte-americana: “A Marinha juntou-se e perguntou a um grupo de jovens funcionários o que poderia fazer para melhorar o seu trabalho. Uma das respostas foram os controlos do periscópio. É algo difícil de manejar e é bastante pesado”, disse o tenente Kyle Leonard, do submarino USS John Warner, ao Washington Post.

O submarino USS Colorado estrear-se nas profundezas dos oceanos entre Outubro a Novembro de 2017 (foto de: General Dynamics Electric Boat)

De forma a resolver tal inconveniente, optou-se pela substituição dos actuais controlos pelos comandos XBOX. As vantagens enumeradas pela Marinha baseiam-se em factores económicos e de eficácia das operações. Enquanto o “joystick” actual, a par do painel de controlo, tem um custo a rondar os 38 mil dólares (cerca de 32 mil euros), os comandos Xbox podem ser adquiridos por uma módica quantia de 33 dólares (cerca de 27 euros, no Amazon). Esta alternativa vai permitir poupar na compra deste tipo de controlos, mas também facilitará o manuseio do periscópio.

O comando Xbox passará a controlar os periscópios dos submarinos USS Colorado e da classe Virginia a partir de Novembro (foto de: US Navy/Lockheed Martin)

Ao contrário da tradicional representação nas telas de cinema ou ecrãs de televisão, os periscópios actuais já não se tratam de sistemas rotativos, mas sim de um conjunto de câmaras de diferentes ângulos com resolução HD. O uso dos novos controladores não só traz fluidez à tarefa, como se trata de um objecto familiar aos mais jovens funcionários, dispensando quaisquer “apresentações” mais formais. “Eles querem munir os marinheiros com aquilo que têm em casa no seu computador pessoal, no seu “desktop” ou com aquilo com que cresceram na sala de aula”, disse o Chefe Sénior do USS John Warner, Mark Eichenlaub.

“O comando faz parte de uma tentativa da Marinha em alavancar equipamento comercial no desenvolvimento das capacidades tecnológico-militares, enquanto se minimizam custos”, aferiu William Couch, porta-voz da Marinha americana.

Apesar desta novidade nos submarinos da Marinha dos Estados Unidos, a utilização de comandos de videojogos na área militar já começa a ser presença assídua no campo de batalha. Quer seja no controlos de drones ou de robôs, as tecnologias dos videojogos ganham uma nova clientela, além da população gamer mundial.

Foto de: Oli Jack Johnson/Flickr

O Shifter é gratuito e sempre será. Mas, se gostas do que fazemos, podes dar aqui o teu contributo.