Vídeo mostra-te a força do sismo de 1755 em Lisboa

A simulação em vídeo foi feita pelo Instituto Smithsonian, uma instituição educacional e de pesquisa fundada pelo governo dos Estados Unidos.

O sismo que destruiu a cidade de Lisboa aconteceu no dia 1 de Novembro de 1755, por volta das 9h30. Ao longo do vídeo, que tem a duração de cerca de 2 minutos, são simulados todos os momentos daquele Dia de Todos os Santos: primeiro, a terra tremeu, os edifícios foram derrubados e o chão dividiu-se. Visto que o epicentro do sismo se deu no mar, de seguida deu-se o tsunami com ondas que chegaram aos 20 metros, vitimando todos aqueles que fugiram para junto do rio. Durante os seis dias seguintes, os incêndios causados pelas velas acesas pela festividade religiosa, destruíram o que tinha restado da Baixa de Lisboa. Apesar da exatidão dos números ter sido questionada várias vezes, estima-se que tenham morrido cerca de 90.000 pessoas, sendo este, por isso, considerado o sismo mais destruidor de sempre em Portugal.

A simulação em vídeo foi feita pelo Instituto Smithsonian, uma instituição educacional e de pesquisa fundada pelo governo dos Estados Unidos que possui ligações a vários museus.

Como ocorrem os sismos e os tsunamis

Toda a crosta terrestre é formada por placas tectónicas, que são uma espécie de “peças de um puzzle”. Estas placas interagem entre si, movendo-se umas em relação às outras, o que gera tensões. Quando os limites entre as placas tectónicas atingem o seu ponto máximo de tensão, a mesma é libertada em forma de energia que provoca os tremores de terra, originando os sismos. Actualmente, a forma mais fidedigna de medir a magnitude dos sismos é através da Escala de Richter.

Por outro lado, são vários os casos em que depois dos sismos ocorrem tsunamis. Esse fenómeno acontece quando a movimentação das placas ocorre no meio do mar, fazendo com que grandes colunas de água se movam e originem ondas que podem chegar aos 30 metros.