Na China, há um universo paralelo de apps comunistas

Uma espécie de "App Store" comunista, dentro das lojas online da Google e da Apple.

Imagem de: Quartz

Política, estado, tecnologia. É esta a tríade que o Partido Comunista Chinês tem em mente e que rapidamente quer implementar na sociedade chinesa. O partido está a desenvolver diversas aplicações móveis, disponíveis nas lojas da Google e da Apple, através das quais procuram consolidar a doutrina política do país, assim como a interacção social entre os membros da organização liderada por Xi Jinping.

O partido que gere os destinos do país está consciente que o actual campo de intervenção política se faz online e, por isso, colocou instituições universitárias, em parceria com pólos empresariais, a desenvolver meios tecnológicos que seduzam as gerações actuais e futuras. Seguindo esta ideia, a Universidade de Tecnologia e Ciência Electrónica da China desenvolveram uma aplicação chamada “Smart Red Cloud”, que através de inteligência artificial, procura educar de acordo com os valores do partido, enviar notificações da organização e até mesmo possibilitar salas de chat entre membros do partido comunista.

Como este exemplo, existem outros de aplicações concebidas pelo estado chinês que marcam uma nova era de marketing político interno. Para os especialistas colocam-se algumas dúvidas relativamente à utilização dos dados dos membros do partido e ao mesmo tempo no conhecimento que a China passa a ter sobre os seus cidadãos. Não é novidade a recolha de dados por parte das empresas tecnológicas, todavia o uso que lhe dão é o busílis desta questão.

Imagem de: Quartz

Não é certo que os membros do Partido Comunista Chinês acolham estas aplicações com naturalidade, causando alguma incerteza no sucesso das mesmas. Há quem acredite que os cidadãos podem ser mais cautelosos e não revelar todas as informações que as aplicações sugerem sobre as suas vidas. Ainda assim, os criadores digitais estão atentos à receptividade desta nova realidade e naturalmente irão adequá-la à necessidades das pessoas.

Esta semana decorre o 19º Congresso do Partido Comunista Chinês onde será definida a agenda política para os próximos 5 anos. Com certeza, será discutida a aplicação da tecnologia na comunicação política do partido para os seus militantes no Grande Auditório do Povo.