A história de um fotógrafo que não consegue ver

Pete Eckert perdeu a visão durante a juventude e só aí sentiu vontade de aprender a arte da Fotografia.

©Pete Eckert

Para muitos, a visão é a ferramenta mais indispensável de um fotógrafo. No entanto, Pete Eckert é a prova do contrário. O fotógrafo norte-americano é invisual mas já fez trabalhos fotográficos para a Playboy e recentemente foi contratado para fotografar para a Volkswagen.

Pete ficou cego dois anos depois de descobrir que tinha uma Retinite Pigmentosa. Até à altura era carpinteiro, mas com a cegueira sentiu a necessidade de fazer arte para mostrar “a realidade de um cego”. Inicialmente dedicou-se à escultura. Fazia estruturas em madeira e usava as descrições da mulher para obter o melhor resultado possível. Mas depois de um processo (e de uma mulher!) saturados, virou-se para a imagem fotografada. Um dia, ao limpar uma gaveta encontrou uma câmara fotográfica antiga e surgiu a ideia de começar a fotografar.

As fotografias de Pete, que são partilhadas através do seu site, distinguem-se das outras pelo jogo de luzes, as figuras fantasmagóricas, a grande exposição e as linhas propositadamente borratadas. Através das imagens, o fotógrafo pretende mostrar o “que a mente dele vê”, visto que acredita que a zona do seu cérebro que não é utilizada por ser invisual, tem sido trabalhada nos últimos anos através do som, do tacto e da memória. Pete afirma ser uma pessoa visual que simplesmente não consegue ver.

Texto de Rita Ferreira