Igreja Católica anuncia desinvestimento em combustíveis fósseis

40 instituições católicas assumiram um compromisso de deixar de recorrer ao petróleo, gás natural e combustíveis fósseis.

Um grupo composto por 40 instituições da Igreja Católica anunciou esta semana um compromisso de desinvestimento em combustíveis fósseis. As instituições estão espalhadas pelos cinco continentes e representam diferentes campos, desde locais sagrados até entidades financeiras da hierarquia da igreja.

A decisão baseia-se tanto no valor partilhado de protecção ambiental, como numa estratégia financeira de preparação para uma economia neutra em carbono. Entre as instituições que vão desinvestir do petróleo, gás natural e carvão estão várias na cidade italiana de Assis, terra de São Francisco e lugar profundamente significativo para os 1,2 mil milhões de católicos de todo mundo, a Arquidiocese Católica da Cidade do Cabo, na África do Sul, e a Conferência Episcopal da Bélgica, o braço político da Igreja Católica naquele país.

Duas instituições financeiras anunciaram também o seu desinvestimento. O Germany’s Bank Für Kirche Und Caritas eG é um dos primeiros bancos católicos do mundo a deixar de lado os combustíveis fósseis. Neste anúncio também se juntou a Oikocredit Belgium, uma instituição financeira ecumênica e uma das maiores fontes de financiamento privado do mundo para microfinanças.

A vontade conjunta destas 40 instituições católicas é mais que quadruplicar o anúncio feito em Maio, quando nove organizações também da Igreja anunciaram um compromisso semelhante.