Lombardia e Veneto negoceiam mais autonomia com Roma

Lombardia e Veneto, duas regiões do norte da Itália, votarem pela autonomia e pela descentralização do poder.

Os habitantes das regiões de Lombardia e Veneto, no norte da Itália, foram às urnas, no passado sábado, para pedir maior independência, sobretudo a nível fiscal, e uma maior descentralização do poder do Governo central. O “sim” conquistou 95,3% das intenções de votos. Já o “não” somou apenas 3,9%.

A afluência às urnas em Veneto terá chegado aos 57%, quando o mínimo era de 50%, e em Lombardia aos 40%.

As duas regiões sustentam, no conjunto, cerca de 30% da economia do país, facto que tem justificado a reivindicação de maior autonomia. Em Itália, o estatuto de autonomia já é reconhecido em outras cinco regiões – Val d’Aosta, Friuli-Venezia Giulia, Trentino-Alto Adige, Sardenha e Sicília.

Apesar de o referendo, votado no sábado, ter partido da iniciativa da Liga Norte, partido de extrema-direita que pretende chegar ao poder usando um discurso xenófobo e anti-imigração, outros políticos de diferentes partidos apoiaram a sua realização. A Liga Norte tem-se tornado conhecida por promover a separação entre o norte e o sul da Itália.

O Governo já se pronunciou e assegura que “está pronto para abrir negociações como fim de definir as condições e formas de maior autonomia” para as duas regiões, sem temer que este resultado inspire movimentos separatistas.

A realização das votações teve um custo de 40 milhões de euros, montante que, segundo os críticos, poderia ter sido evitado com a realização de conversações entre Roma e as duas regiões. O presidente de Veneto, Luca Zaia, e o presidente de Lombardia, Roberto Maroni, justificam dizendo que as tentativas de negociação com Roma foram, já anteriormente, ignoradas. “Agora, Veneto e Lombardia podem juntar forças para lutar a batalha do século”, declarou Roberto Maroni.