NOS e Vodafone juntam-se para levar fibra a mais casas

Operadoras vão partilhar infraestrutura de fibra óptica e ainda rede móvel 4G.

A NOS e a Vodafone vão partilhar infraestrutura de fibra óptica com o objectivo de alargar a abrangência da sua oferta comercial. Serão 2,6 milhões de casas e empresas que passarão a poder usar os serviços destas operadoras. O acordo inclui ainda a partilha de rede móvel 4G.

Em comunicado, a NOS e a Vodafone explicam que esta união abrange a “partilha recíproca de fibra escura em cerca de 2,6 milhões de casas, em que cada uma das entidades partilha com a outra um valor equivalente de investimento. Quanto à infraestrutura móvel, pretende-se assegurar a “partilha mínima de 200 torres móveis”. Esta parceria permitirá aos dois operadores a disponibilização das suas ofertas comerciais, sob a rede partilhada, a partir do início de 2018.

Com este acordo, a NOS e a Vodafone esperam, cada uma, totalizar mais de 4 milhões de casas na sua rede de fibra óptica até final do próximo ano. A infraestrutura será partilhada, mas os clientes não. Estará igualmente assegurada a total independência na gestão da base de clientes de cada uma das empresas, bem como a confidencialidade no tratamento dessa informação.


A partilha de infraestrutura entre a NOS e a Vodafone permite às empresas dividir custos e promover uma maior dinamização do mercado, estimulando a concorrência. O princípio tem algumas semelhanças com o conceito do open sourcepartilhar tecnologia base para incentivar a dinamização e inovação num determinado sector. Contudo, não podemos considerar esta parceria uma iniciativa de open source, uma vez que não se trata de uma infraestrutura aberta mas sim de um acordo de investimento entre duas empresas, o que, de qualquer modo, configura uma prática concorrencial assinalável.

Este tipo de parcerias entre operadoras não é nova. A Vodafone fez uma com o MEO em 2014, válida por 25 anos e com uma abrangência de 900 mil casas, metade para cada operador.