Nova Iorque começou a preparar-se para o futuro

Um núcleo municipal está a pensar como a nova tecnologia pode melhorar a vida de que vive, trabalha e visita Nova Iorque.

Nova Iorque está a preparar-se para o futuro, equacionando como os novos desafios tecnológicos (conectividade 5G, condução autónoma, inteligência artificial, blockchain…) poderão melhorar a vida dos nova-iorquinos e tornar a cidade mais sustentável.

Nesse sentido, foi criado o NYCx, um núcleo de trabalho dentro da Câmara Municipal nova-iorquina e aberto a toda a comunidade. Pode compô-lo quem queira problematizar o futuro de uma cidade, olhando para as questões actuais e aplicando as novas tecnologias. Procuram-se designers, engenheiros, arquitectos, criadores, futuristas, start-ups.

O NYCx vai desenvolver-se através de desafios e terá o contributo de um futurista experiente que possa com os seus insights guiar as equipas de trabalho. Segundo a CNN, futuristas dizem que uma boa previsão pode poupar às cidades mil milhões de dólares, definindo políticas e tomando decisões específicas que terão impacto daqui a 40 ou 50 anos.

No site da NYCx lê-se que “os principais avanços na tecnologia – dos drones ao blockchain – vão ter um impacto significativo na forma como trabalhamos, vivemos e jogamos” e que cabe às entidades governamentais a responsabilidade de garantir que esses avanços têm um impacto positivo na sociedade, nas comunidades, nas pessoas.

O primeiro desafio consiste em transformar a Governors Island, uma ilha de 86 hectares situada a aproximadamente a um quilómetro do sul de Manhattan, numa ilha inteiramenteconectada com redes móvel e Wi-Fi – actualmente a oferta neste campo é reduzida. Existirão três projectos vencedores e o prémio é de 25 mil dólares. Michael Samuelian, presidente da Trust for Governors Island, organização privada sem fins lucrativos que gere a ilha, falou à CNN sobre a vontade de tornar a ilha um piloto também no que toca a inovação energética e de desperdício.

O futuro não se imagina, cria-se. E, com a ajuda da tecnologia e a criatividade da comunidade, podem ser encontradas soluções eficientes e sustentáveis do ponto de vista da mobilidade, habitação, gestão de recursos, pobreza e outros. Nova Iorque afirma-se como a primeira cidade do mundo com um núcleo municipal para o futuro. Será que outras metrópoles se vão inspirar neste modelo? Será que esta estratégia vai ajudar Nova Iorque a preparar-se para o futuro? São algumas das questões que se colocam.

Outra importante questão nesta matéria tem a ver com os valores sobre os quais se construirá esse futuro, dividindo entre perspectivas corporativista como as de Elon Musk ou Jeff Bezos, e ideias mais utopistas como as de Jacques Fresco.