Stoptober, o mês ideal para deixar de fumar

O mês de outubro pode ser o empurrão que precisas para largar o vicio.

 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

Ao contrário do que um não fumador possa imaginar, os consumidores de tabaco nem sempre conseguem ter uma visão realista do impacto que fumar tem nas suas vidas. Os fumadores crónicos sentem-se amigos inseparáveis do seu pedaço de nicotina, muito importante para ajudar a queimar tempo… de vida.

Foi a pensar neste vício e na dificuldade de o ultrapassar que nasceu o Stoptober, um movimento europeu no âmbito da prevenção e combate ao tabagismo. O objectivo é persuadir os fumadores a congelar os seus impulsos pela habitual chupeta durante este mês – outubro – e quem sabe para sempre. Por aqui fazemos votos para que isso aconteça e explicamos-te porquê:

Um estudo, de 2015, da revista médica britânica The Lancet apresenta dados alarmantes. Em 2015 já eram mil milhões os fumadores espalhados pelo mundo, num universo em que uma em cada dez mortes é causado pelo tabagismo. O estudo contemplou a análise dos hábitos de 195 países, entre 1990 e 2015, e só no último ano analisado, registaram-se 6,4 milhões de mortes devido ao tabagismo, facto que revela a globalidade do problema. Em Portugal, segundo um relatório da Direção-Geral da Saúde (DGS), em 2013 contabilizaram-se 12.357 mortes com relação ao tabaco, cerca de 11% dos óbitos totais registados.

Apesar dos sucessivos alarmes nem todos os fumadores crónicos estão dispostos a abandonar este vício. Mesmo tendo consciência do mal que estão a fazer a si próprios necessitam de uma enorme dose de assertividade e alguma coragem extra. Abandonar um vício é sempre um acto disruptivo com a realidade que se foi alimentando e, no fundo, apenas um grupo muito reduzido, e em recessão, não quer realmente eliminar esse hábito. Uma grande parte acaba por se deixar consciencializar por campanhas e influências próximas, seja de amigos, família ou até de mecanismos impostos pelo estado.

Os bons exemplos europeus surgem de países como a Holanda ou Inglaterra –  fiéis participantes do Stoptober – onde o esforço por parte dos seus governos para combater este vicio tem sido tremendo. No caso da Holanda, durante os últimos anos o governo tentou um pouco de tudo para fazer com que as pessoas deixassem de fumar. Desde aumentar os preços, a colocar fotografias impactantes. Na Holanda um maço de tabaco custa em média mais 2€ do que em Portugal. Entre 1990 e 2015, a percentagem de fumadores com mais de 18 anos diminuiu de 37,5% para 26,1%. A percentagem de fumadores diários no mesmo período caiu de 32,1% para 19,4% e a de fumadores crónicos passou de 12,2% em 2001 para cerca de 8,2% em 2012.

Não fumar apresenta benefícios óbvios não só para a saúde individual, mas também colectiva. Para além de afectar as pessoas mais próximas afecta também a sustentabilidade do planeta Terra, uma vez que a indústria do tabaco é uma das mais poluentes do mundo.

Por tudo isto, esperamos não ter chegado tarde ao movimento e que dês o teu melhor nesta luta, caso sejas fumador.

Se não conseguirmos aumentar o número de patronos, a 2ª edição da revista será a última, e o Shifter como o conheces terminará no final de Dezembro. O teu apoio é fundamental!