Uma viagem fotográfica à cidade de Amesterdão em 1890

Um conjunto de fotografias da autoria de George Hendrik Breitner, o célebre pintor e fotografo holandês que não achava lá muita piada a Van Gogh.

George Hendrik Breitner foi uma das figuras mais importantes no panorama impressionista holandês do século 19. Nascido em 1857, em Roterdão, rapidamente desenvolveu um talento nato para a pintura, apresentando um estilo de carácter realista, com particular incisão na ambiente citadino.

Na década de 1890, “conheceu” a arte da fotografia, encontrando uma ferramenta capaz de saciar a sua vontade de documentar o quotidiano comum de Amesterdão, e toda a envolvência da cidade, nomeadamente o clima chuvoso. Como as pinturas, as fotografias de Breitner estavam especialmente preocupadas com o movimento e atmosfera e não tanto com a nitidez ou fidelidade da imagem.

Esta emblemática figura do impressionismo conviveu na mesma época que outro grande pintor contemporâneo, Vincent Van Gogh, que conheceu em 1882, e cujas pinturas descreveu criticamente dois anos após a morte deste- “Para mim parece arte para os esquimós, não posso apreciá-lo. Sinceramente, acho-o grosseiro e desagradável, sem qualquer distinção.”

Fotografias: George Henrik Breitner/Rijksmuseum via Europeana