E a bitcoin não passou os 10000 mas… os 11000 dólares

Em 24 horas a subida do preço da Bitcoin foi de 10%.

Dia 28 de Novembro a Bitcoin passou o marco histórico de valorização dos 10 000 dólares. Hoje, um dia depois, já esteve nos 11 000. A corrida está alucinante e o que pode acontecer é imprevisível. No momento em que este artigo foi escrito o valor encontra-se nos 10.400, representando uma ligeira perda durante o dia. A culpa calcula-se que seja dos especuladores que marcaram o valor de referência para vender ao desbarato nos 10 mil dólares. Esperam-se desenvolvimentos ao segundo e o mais provável é que quando estiverem a ler este artigo tudo já tenha mudado outra vez.

Nos últimos dias, a história da pizza comprada por 10 mil bitcoins a 22 de Maio de 2010 tem corrido todas as redes sociais, fóruns e demais órgãos de imprensa para ilustrar que quem tivesse investido nos primeiros dias de vida das criptomoedas estaria hoje milionário ou multimilionário. Em 2011, esta criptomoeda atingiu a paridade com o dólar e a partir daí continuou a seguir caminho, flutuante.

Para termos uma ideia, a primeira queda deu-se quando a bolha explodiu em Dezembro de 2010, fazendo o valor baixar de 31 para 2 dólares. No final de 2013, entre Outubro e Novembro, o valor da Bitcoin subiu dos $350 para os $1200, flutuando à volta dos $1000 até… voltar a cair para 340 dólares. Até 2017 esteve tudo na casa das centenas; vencida novamente a etapa dos $1000, em Janeiro o valor voltou a cair, retomando os milhares em Março.  A subida deste então tem continuado. Passou os $5000 em Setembro e, subindo e subindo, chegou ontem aos 10 000, hoje aos 11 000 e voltou a descer.

Um crescimento especialmente alucinante no mês de Novembro e nos últimos dias, em particular.

Os profetas da desgraça falam numa bolha que pode rebentar em breve, deixando os investidores incautos na miséria. Já os grandes bancos que estão em processo de adotar o blockchain, tecnologia por detrás da Bitcoin, continuam cautelosos e com um certo preconceito em relação à esta moeda. Jamie Dimon CEO da  JPMorgan Chase, foi perentório a classificar Bitcoin como uma “fraude”.

O medo, associação ao mercado negro e outras precauções não são travões para os investidores que continuam a colocar a Bitcoin numa escalada galopante e sem travões. Os governos e reguladores ainda não sabem que fazer, se tolerar, apoiar ou proibir. O Dubai, por exemplo, anunciou a 2 de Outubro o que vai lançar a sua Criptomoeda oficial, o EmCash. Entrando numa corrida onde em breve podem entrar Singapura, Estónia e Canada.

Porque é que isto é importante? Há neste momento um total de 300 mil milhões de dolares investidos em criptomoedas, nas quais se incluem para além do Bitcoin o Ethereum, a Litecoin, o Dash, o Bitcoin Cash, enfim, um total de mais de 100 possibilidades. A Bitcoin, de que aqui se fala, representa 55% deste mercado. O que vai acontecer, não sabemos. Mas a corrida ao ouro digital está ao rubro.

 

Texto de: Miguel Melo

Revisão: João Ribeiro