Como o hidrogénio poderá revolucionar o mercado automóvel

Para bem de todos nós e do nosso planeta, esperemos que este desejo se torne rapidamente uma realidade.

A cada dia que passa, especialmente no nosso país, vemos os efeitos cada vez mais presentes das alterações climáticas. A substituição dos veículos movidos a energias fósseis por veículos movidos a hidrogénio torna-se, assim, uma das respostas mais populares e emergentes às proibitivas emissões de CO2.

Com isto em mente, o projecto H2ME, financiado pela UE, tem vindo a desenvolver esta tecnologia, de forma a criar uma alternativa viável e sustentável às opções mais poluentes. Substituindo as baterias (existentes nos carros eléctricos) por células de energia, a única reacção que tem lugar é entre o oxigénio e o hidrogénio. Esta reacção química origina como único resíduo água, que sai pelo tubo de escape, sem a criação de qualquer subproduto nocivo.

Esta tecnologia, e a produção de veículos compatíveis, ainda está numa fase muito embrionária no panorama europeu. Existem apenas algumas centenas de carros a hidrogénio na Europa, com a Dinamarca a possuir a esmagadora maioria dos veículos existentes neste segmento.

O país nórdico, pioneiro na utilização desta tecnologia, já construiu 10 postos de recarga de hidrogénio até ao momento, possuindo 77 carros em circulação.

Grande parte da missão da UE é implementar uma rede de postos de energia, de forma a motivar e a incentivar a produção e compra destes carros.

Um dos desafios que ainda é preciso ultrapassar é a falta de hidrogénio verde produzido de forma consistente. A tecnologia para o fazer já existe, em Sheffield, no Reino Unido. Eles produzem hidrogénio através de um processo simples e completamente limpo, o que faz com que as perspectivas desta indústria sejam animadoras.

Nos dias de hoje, a maioria do hidrogénio ainda é produzido a partir de fontes fósseis. No entanto, segundo Ben Madden, coordenador do projecto H2ME, o hidrogénio utilizado para abastecer os veículos será sempre verde. “Quando nós pensamos no hidrogénio a utilizar no abastecimento destes veículos de transporte e mobilidade, estamos sempre a considerar fontes limpas.”

A ITM Power, uma das empresas responsáveis pelo elemento chave deste processo – a separação de água em hidrogénio e oxigénio – diz estar muito próxima de o fazer de uma forma totalmente limpa e de automatizar o processo. “Nós produzimos o hidrogénio no posto de reabastecimento no momento, fazendo cair a necessidade de armazenamento do combustível.”

De acordo com os líderes do projecto H2ME, o objectivo é conquistar a capacidade para oferecer um carro a um preço de compra e manutenção semelhante aos movidos a combustíveis fósseis até 2025.

A batalha do mundo automóvel perfila-se entre os carros eléctricos e os carros de hidrogénio.

Apesar do futuro nos reservar uma luta entre os carros a energias renováveis, nos dias de hoje o objectivo passa por competir o melhor possível com os carros a gasolina, que ainda detêm a esmagadora maioria do mercado. Tendo isto em consideração, quem sabe se no futuro próximo não teremos como opções mais presentes no mercado os carros renováveis? Para bem de todos nós e do nosso planeta, esperemos que este desejo se torne rapidamente uma realidade.