China vai construir o túnel mais longo do mundo para levar água ao deserto

Esta possibilidade foi equacionada diversas vezes ao longo da história.

Rio Yarlung Tsangpo Fotografia: Alamy Stock Photo

De acordo com South China Morning Post, a China está a trabalhar num ambicioso projecto com o propósito de desviar água através do rio Yarlung Tsangpo, no sul do Tibete, curso de água que se transforma no rio Brahmaputra quando entra na Índia. Para tal, a China vai construir o túnel mais longo do mundo, com um total de mil quilómetros, para levar água desde o Tibete ao deserto de Taklimakan, na região do Xinjiang.

A proposta foi apresentada pelo Governo chinês em Março e as equipas de investigação do projecto, composta por mais de cem cientistas, já começou a testar possíveis técnicas para a construção do túnel. A proposta da obra surgiu devido ao facto do planalto do Tibete ter a capacidade de impedir que a chuva trazida pelo Oceano Índico alcance Xinjiang, região rodeada a norte pelo deserto de Gobi e a sul pelo Taklimakan, inviabilizando assim a actividade humana em 90% do território.

Esta possibilidade foi equacionada diversas vezes ao longo da história. A primeira, foi durante a dinastia Quing; contudo, o projecto nunca avançou, muito por culpa dos elevados custos, potenciais protestos e divergências com os países vizinhos; e também pelo facto de o planalto do Tibete ser uma das regiões do mundo com mais atividade sísmica do mundo.

Este não é o primeiro túnel a ser construído com este propósito. A viabilidade do túnel entre Tibete -Xinjiang está a ser testado desde Agosto de 2016, aquando a China iniciou a construção de um outro túnel em Yunnan, província no extremo sudoeste do país, que terá mais de 600 km e cuja conclusão está prevista para 2024. A construção desta infraestrutura, para circulação de comboios de alta velocidade, vai servir de tubo de ensaio aos métodos de engenharia que serão utilizados no futuro túnel entre as regiões do Tibete e Xinjiang.