Se Lenine tivesse Twitter

A RT fez um especial sobre a Revolução Russa onde nos propõe revivê-la, adaptada aos dias de hoje.

Os efeitos da Revolução Bolchevique hoje em dia são mais que aqueles que estamos habituados a ver reconhecidos e é por isso que celebrados 100 anos sobre a antiguidade daquela que é a mãe de todas as revoluções socialistas, a RT decidiu trazer os acontecimentos de 1971 para a actualidade. Por isso acrescentou-lhes uns pózinhos de digital, um cheirinho de tecnologia e saiu o Revolution 1917, um separador especial no site da televisão russa que te permite estudar e perceber o que aconteceu há uma centena de anos de forma muito interactiva.

À chegada tens um breve resumo do que a RT tentou fazer. Garantem que, sem julgamentos, vão passar em revista todos os acontecimentos que compuseram esta segunda e última fase da Revolução russa, que fez nascer o primeiro país comunista da História. Mês a mês, mostram os pass-os em direcção à maior revolta política e social do século passado para que possamos “reviver a Revolução tweetada”. A expressão, que traduzida para português perde algum do seu sentido, desvenda o que podes descobrir nos links abaixo. #1917Live, Chronicle, Quiz, Video 360, Media e Cards são os formatos que a RT te convida a explorar.

O primeiro é o nosso preferido. #1917LIVE convida-te a pensar como seria se existisse Twitter há 100 anos e se todas as personalidades envolvidas na revolução relatassem as suas ideias e estratégias como, no fundo, fazem hoje em dia. Melhor que isso, foram criados perfis para cada um dos intervenientes importantes na revolta, movimentos, um jornal fictício chamado Revolutionary Times, outro para o Governo provisório, e todos eles interagem entre si, e tweetam em directo o que aconteceu há 100 anos.

Do lado esquerdo, em Characters, podes consultar as personagens envolvidas e os perfis de Twitter criados para cada um. Podes ainda consultar cada um em particular em vez de acompanhares a história na Timeline e saber um bocadinho mais sobre cada uma delas. Em #1917Crowd és convidado a participar também tu na revolução. Se criares um perfil histórico podes também fazer parte desta encenação, seja a de uma figura real ou de uma figura ficcional, desde que faça sentido no universo de 1917.

Por fim, tens o #LeninTracker, que acompanha a viagem do líder bolchevique que chegou atrasado à Revolução que desmantelou o regime Czarista, de Zurique na Suíça a Petrogrado, actual São Petersburgo. Uma viagem feita de comboio e barco, que começou dia 9 de Abril e terminou dia 16 e que nos é contada, em Tweets, pelo próprio Vladimir Lenin que, por exemplo, ficou nervoso ao aproximar-se da Alemanha, queixa-se da falta de espaço nas carruagens e de enjoos a bordo.

Voltando atrás, na secção Chronicle podemos conferir todos os materiais numa cronologia que nos dá uma boa noção temporal dos acontecimentos entre Fevereiro e Novembro. Artigos, fotografias, vídeos, tudo o que precisas de saber para te inteirares da matéria está na seta para baixo.

Em Quiz, como o nome indica, podes pôr em prática o teu conhecimento dos eventos, com três testes distintos, um mais geral, outro sobre o que são os mitos e a realidade do que se conta acerca da Revolução de Outubro e outro onde tens que distinguir as citações de Lenin das de Alexander Kerensky, um dos líderes da Revolução de Fevereiro.

Sobram as categorias Video 360, Media e Cards. A primeira mostra-nos vídeos filmados a 360º, acompanhados de uma voz off que nos explica os acontecimentos e mostra encenações da vida na época. Em Media, a RT apresenta-nos imagens e gravações de voz raras, de quem testemunhou e viveu a revolução. Cards é uma espécie de secção de referências, uma enciclopédia sobre tendências políticas, culturais e sociais que são fundamentais para compreender o desenrolar da Revolução.

Um mimo para os fãs de História, uma ajuda para os que não gostam e vêem assim a sua vida facilitada, se quiserem compreender um dos principais eventos da história contemporânea.