Uma Thurman falou finalmente sobre Harvey Weinstein

Depois de em Outubro ter dito que estava "demasiado zangada para falar", agora veio confirmar que também foi vítima de assédio.

Harvey Weinstein
 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

Quando o escândalo sobre Harvey Weinstein rebentou, Uma Thurman era uma das pessoas que toda a imprensa queria ouvir. A actriz é uma das musas de Tarantino e, por sua vez, do produtor que sempre trabalhou com o realizador norte-americano, uma parceria firmada em filmes como Pulp Fiction e Kill Bill.

Depois de uma entrevista em Outubro em que disse estar “demasiado zangada para falar”, Uma Thurman escolheu o Dia de Acção de Graças – assinalado esta quinta-feira, 23 de Novembro, nos Estados Unidos –para confirmar nas redes sociais que tem mesmo muito para contar sobre o assunto.

“Há pouco tempo, eu disse que estava zangada, e tenho algumas razões, #metoo, no caso de não terem reparado pela minha cara”, escreveu Thurman no Instagram.

Apesar de não acusar directamente Harvey Weinstein de a ter assediado, aponta-lhe a mira quando deseja um “feliz Dia de Ação Graças a toda a gente! Excepto tu, Harvey, e todos os teus conspiradores perversos – ainda bem que está a ir devagar – tu não mereces uma bala”.

confirmação oficial de que é uma das vítimas surge, então, semanas depois dessa entrevista de Outubro, em que Uma Thurman disse não ter “nenhum soundbite arrumado, porque eu aprendi, e não sou uma criança. E aprendi que quando falo zangada, normalmente arrependo-me da maneira como me expresso”.

No final da publicação que fez no Instagram, Uma despede-se com um “fiquem ligados”, dando a entender que ainda vai voltar a falar sobre o assunto.

O Shifter precisa de cerca de 1600 euros em contribuições mensais recorrentes para assegurar o salário aos seus 2 editores. O teu apoio é fundamental!