Uma Thurman falou finalmente sobre Harvey Weinstein

Depois de em Outubro ter dito que estava "demasiado zangada para falar", agora veio confirmar que também foi vítima de assédio.

Harvey Weinstein

Quando o escândalo sobre Harvey Weinstein rebentou, Uma Thurman era uma das pessoas que toda a imprensa queria ouvir. A actriz é uma das musas de Tarantino e, por sua vez, do produtor que sempre trabalhou com o realizador norte-americano, uma parceria firmada em filmes como Pulp Fiction e Kill Bill.

Depois de uma entrevista em Outubro em que disse estar “demasiado zangada para falar”, Uma Thurman escolheu o Dia de Acção de Graças – assinalado esta quinta-feira, 23 de Novembro, nos Estados Unidos –para confirmar nas redes sociais que tem mesmo muito para contar sobre o assunto.

“Há pouco tempo, eu disse que estava zangada, e tenho algumas razões, #metoo, no caso de não terem reparado pela minha cara”, escreveu Thurman no Instagram.

Apesar de não acusar directamente Harvey Weinstein de a ter assediado, aponta-lhe a mira quando deseja um “feliz Dia de Ação Graças a toda a gente! Excepto tu, Harvey, e todos os teus conspiradores perversos – ainda bem que está a ir devagar – tu não mereces uma bala”.

confirmação oficial de que é uma das vítimas surge, então, semanas depois dessa entrevista de Outubro, em que Uma Thurman disse não ter “nenhum soundbite arrumado, porque eu aprendi, e não sou uma criança. E aprendi que quando falo zangada, normalmente arrependo-me da maneira como me expresso”.

No final da publicação que fez no Instagram, Uma despede-se com um “fiquem ligados”, dando a entender que ainda vai voltar a falar sobre o assunto.

Milhares de pessoas seguem o Shifter diariamente, apenas 50 apoiam o projecto directamente. Ajuda-nos a mudar esta estatística.