Uma nova websérie da RTP e uma pequena revolta homofóbica

#CasaDoCais conta com os youtubers Peperan, Kiko Is Hot e Djubsu. Para eles, é o concretizar de um sonho. Para outros, não é bem assim.

Em Outubro, a RTP anunciou o RTP Lab, um novo laboratório criativo e experimental do qual viriam a sair as primeiras webséries da estação pública – Amnésia, #CasaDoCais, Subsolo e Appaixonados. São séries iguais às que passam nos canais da RTP mas com estreia exclusiva no YouTube e no RTP Play, a plataforma de streaming do grupo.

Amnésia, #CasaDoCais, Subsolo e Appaixonados são as primeiras apostas da RTP neste âmbito – séries que têm como público-alvo as camadas mais jovens, habituadas a consumir os conteúdos na internet. Amnésia, que é apresentada como um “thriller policial vertiginoso” já está disponível online (RTP Play e YouTube). As restantes produções vão chegar em Janeiro e Fevereiro do próximo ano.

#CasaDoCais será a primeira estreia de 2018 e junta duas caras já conhecidas do público: os youtubers Peperan (Ana Correia), Kiko Is Hot (Francisco Soares) e Djubsu (Soraia Carrega). Assumem-se hoje como criadores de conteúdos e juntaram-se a André Mariño e Helena Amaral para protagonizar esta websérie, cuja estreia está prevista para 15 de Janeiro. A realização é responsabilidade da Ana e o argumento foi escrito por todos que a descrevem como uma “série controversa e bem humorada sobre cinco amigos muito peculiares”.

Esta série é para quem acorda às 3 da tarde numa quarta-feira e designa o pacote de batatas fritas aberto, na mesa de cabeceira, como pequeno almoço. Para quem já comeu metade de Lisboa e quer expandir a sua “mercadoria” internacionalmente. Para quem está às 7h15 na cave do Lux, a gastar os sapatos, ao lado do João Botelho, enquanto se pergunta a que horas o supermercado abre, porque entra às 8h30 e precisa de comprar 2 latas de red bull. Para quem diz que hoje se vai deitar cedo para ir ao ginásio de manhã e está a ver a quarta temporada de Game of Thrones às 4 da manhã. Enfim, é uma série para quem é jovem, parvo e feliz na sua incoerência.

O trailer já reúne mais de 16 mil visualizações no Facebook, 3 mil no canal oficial de YouTube e 7 mil no canal da RTP. Neste último, recebeu alguns comentários depreciativos e insultuosos por parte dos internautas, em reação à homossexualidade assumida publicamente por dois dos protagonistas – Ana Correia e Francisco Soares. “A RTP está a gozar, certo? Isto só pode ser uma partida, e de muito mau gosto. Para além de passarem touradas agora vão passar estes vermes sem cérebro? Não… Não… Não…”, lê-se na caixa de comentários do YouTube. “A merda que Portugal se trans-formou…” e “nada melhor que ver os descontos a ir para o que interessa: validar uns quantos paneleiros de cabelo azul. Sabe bem ser um país progressivo” são outras das reacções homofóbicas que um dos protagonistas da série, Francisco Soares, fez questão de denunciar.

#CasaDoCais, que por outros internautas é visto com bons olhos, porque “finalmente Portugal tem uma série tão aberta como as estrangeiras” ou porque “faz lembrar Skins e Skam”, é vista pela realizador, Ana Correia, como o “materializar do sonho de produzir uma série de comédia com que a nossa geração se consiga identificar”, escreve na página oficial da série no site da RTP. “É fantástico ter a oportunidade de mostrar realidades e mentalidades diferentes, assim como a aventura que é ser jovem hoje em dia, numa linguagem actual, crua e cómica.”

Sinopse: Ema vem para Lisboa e partilha casa com quatro amigos excêntricos. Histórias sem tabus sobre o que é ser jovem no novo milénio (o sexo, o álcool, as drogas, as festas, a busca de emprego e o amadurecimento).