‘Mini idade do gelo’ pode atingir a Terra em 2030

De acordo com o grupo de investigadores, liderado pela professora de matemática Valetina Zharkova, as temperaturas deverão começar a diminuir a partir de 2021.

Radiação Solar mínimo de maunder

A Terra poderá ser atingida por uma “mini idade do gelo”. O estabelecimento dessa hipótese resulta de um estudo de um grupo de investigadores britânicos, russos, e de outras nacionalidades, liderados pela professora de matemática Valentina Zharkova, da Universidade de Northumbria, no Reino Unido. De acordo com um modelo matemático da atividade magnética do sol, as temperaturas vão começar a baixar, levando o planeta a experimentar condições climatéricas semelhantes às vividas no século XVII, num período gélido historicamente conhecido como a “mini idade do gelo”.

A diminuição da temperatura está associada a um fenómeno solar comparável ao “mínimo de Maunder. Estes períodos são caracterizado por uma menor actividade solar, com menos manchas solares do que é habitual. Essa inatividade histórica, no século XVII, coincidiu com uma agravada baixa de temperaturas que apanhou a Europa e a América do Norte de surpresa.

O período, que durou cerca de 50 anos, ficou conhecido como a “pequena idade do gelo” ou “little ice age”. Durante 5 décadas, os invernos foram mais frios do que era comum levando a eventos marcantes como o congelamento do rio Tamisa, em Londres, a tal ponto que, durante o inverno, se podia caminhar sobre a camada de gelo da sua superfície.

De acordo com os investigadores, as temperaturas poderão começar a diminuir a partir de 2021. “Durante o mínimo, a intensidade da radiação solar vai ser drasticamente reduzida. Portanto, vamos ter menos calor a entrar na atmosfera, o que reduzirá a temperatura”, explica Valentina Zharkova.

As previsões da equipa de investigação resultaram de um modelo matemático que analisa a atividade solar. Depois de analisarem o campo magnético do sol, os especialistas repararam que o sol produz ondas magnéticas aos pares e não individuais, como até então se imaginava. Com o auxílio destes novos dados, a equipa tentou perceber realmente que alterações no campo magnético solar se poderiam desenvolver num futuro próximo. “Foi aqui que previmos este novo mínimo de Maunder”, afirma Zharkhova.

A investigadora tem esperança de que, se a “mini idade do gelo” for confirmada, “o aquecimento global seja contraposto por este efeito, dando à humanidade e à Terra 30 anos para solucionar a poluição”. Valentina Zharkova afirmou ainda em vários comunicados à imprensa internacional a incerteza dos resultados do seu estudo por se focar num objecto de estudo altamente dinâmico e influenciável por questões externas, sublinhando que a previsão da sua equipa é uma hipótese e não uma certeza.