Os mais ricos do mundo ficaram muito mais ricos em 2017

Jeff Bezos, o fundador e director executivo da Amazon, consolidou a sua posição no número 1 da lista.

A análise e os dados são anunciados pela Bloomberg, que, através do seu Bloomberg Billionaires Index, concluiu que, ao longo de 2017, o dinheiro concentrado nas 500 pessoas mais ricas do mundo subiu cerca de 23%.

O ranking da revista norte-americana, que acompanha e regista diariamente a avaliação das fortunas dos maiores multi-milionários do mundo, permitiu perceber que por dia foram acrescentados cerca de 2,7 mil milhões de dólares a este bolo detido pelos mais ricos. No final do ano 2017, a fortuna total dos mais ricos estará assim na casa dos 5,3 biliões de dólares, em comparação com os 4,4 do ano passado.

Este ano ficou marcado por alguns movimentos na tabela. Jeff Bezos, o fundador e director executivo da Amazon, consolidou a sua posição no número 1 da lista, já Bill Gates, o primeiro lugar em 2013, viu a sua fortuna cair gradualmente fruto de algumas doações. George Soros, outro conhecido multi-milionário, foi outro dos elementos em sentido contrário à tabela. O húngaro-americano terá doado 18 mil milhões só para a fundação Open Society, de que é fundador, caindo até ao 195º lugar da tabela.

Este foi também o primeiro ano em que o número de milionários asiáticos ultrapassou o número de americanos na tabela, factor que pode parecer secundário mas revela a nova distribuição do mercado. Numa última nota de comparação com a lista do ano passado, a Bloomberg aponta a “descoberta” de 67 novos membros do clube dos mais ricos do mundo.