The Irishman: tudo o que sabemos até agora sobre o próximo clássico gangster

Martin Scorsese, Robert De Niro, Al Pacino, Joe Pesci. É suficiente para captar a tua atenção?

Quase parece bom demais para ser verdade. Aliás, parece tão bom que as notícias sobre ele têm chegado tímidas, cautelosas, com medo de nos dar demasiadas esperanças. No Verão, demos-te conta da “saída da reforma” de Joe Pesci, que desde 2010 não aparecia no grande ecrã. Depois de ter rejeitado várias vezes o papel, (dizem que foram mais de 50) Pesci concretiza em The Irishman a sua quarta colaboração com Martin Scorsese, depois de GoodfellasRaging Bull e Casino“Funny how?” Tão funny que não aguentámos esperar por mais informações sobre aquele que será provavelmente o próximo clássico gangster e fomos reunir todas as informações que existem até agora sobre The Irishman.

Goodfellas (1990) já juntou Scorsese, DeNiro e Pesci.

O elenco de luxo

Confirmados para o filme estão também Robert DeNiroAl PacinoHarvey Keitel e Bobby Cannavale. Nomes do costume em trabalhos dirigidos por Martin Scorsese, conhecido especialmente pelos seus filmes sobre crime e a máfia.

O filme conta a história de Frank Sheeran, também conhecido como “O Irlandês”, um veterano de guerra cheio de condecorações que concilia a vida de camionista com a de assassino número 1 da máfia. Promovido a líder sindical, ele torna-se o principal suspeito quando o ex-presidente da associação desaparece misteriosamente. O papel de protagonista será entregue a DeNiro. Al Pacino será Jimmy Hoffa (o ex-presidente que desaparece), Harvey Keitel é Angelo Bruno, Joe Pesci será Russell Bufalino, Bobby Cannavale será Joe Gallo e Ray Romano Bill Bufalino.

Baseado numa história verídica

argumento é de Steven Zaillian, colaborador de longa data de Scorsese e baseia-se no livro de Charles Brandt, I Heard You Paint Houses: Frank’ The Irishman ‘Sheeran e The Inside Story of the Mafia, Teamsters e Final Ride de Jimmy Hoffa. 

Brandt entrevistou o Frank Sheeran, enquanto esteve preso, ao longo de cinco anos, para obter o máximo de informações privilegiadas sobre o grupo secreto. Durante as conversações, Sheeran admitiu ser o autor de 25 assassinatos encomendados pela Mafia. Escusado será dizer que a história está em boas mãos com Zaillian, que escreveu, por exemplo, a Schindler’s ListGangs of New YorkAwakenings e Moneyball e tem, pelo menos, mais um Óscar do que tu.

As filmagens já estão em andamento

Desde que surgiram os primeiros rumores acerca do filme, que os paparazzi não descansaram enquanto não fizeram emergir na Internet fotografias dos actores em trabalho. A partir dessas fotografias percebemos que The Irishman está a ser rodado em Nova Iorque, e Scorsese já começou a dirigir De Niro, Pesci e Harvey Keitel.

Não se pode para já tirar muitas conclusões da aparências dos personagens, até porque já se sabe que o realizador de 75 anos vai apostar numa tecnologia de efeitos especiais focada no envelhecimento (e rejuvenescimento!) dos actores, de forma a expandir a história ao longo das várias décadas.

Em declarações ao Deadline, De Niro disse sobre a tecnologia que: “Estamos a filmar as coisas jovens primeiro e a levá-las década-a-década para que mais tarde as coisas mais antigas estejam mais próximas da nossa idade. Por isso eles estão a tentar fazê-lo tão bem quanto possível, e o objectivo é esse, que seja algo especial que toda a gente queira ver e possa vê-lo tão bem feito quanto possível. Estou muito entusiasmado e ansioso por poder ver tudo isto em prática.” 

Em Maio, Scorsese, disse ao Independent que está a tentar fazer um filme mais contemplativo que os seus filmes anteriores sobre a mesma temática: “As pessoas também são mais velhas em The Irishman. O filme é certamente mais um olhar para trás, uma retrospectiva, por assim dizer, da vida de um homem e as escolhas que ele teve que fazer”.

Mais um filme Netflix

A tal tecnologia de efeitos anti-aging acima mencionada assustou alguns dos maiores e mais conhecidos estúdios de cinema de Hollywood que temeram a burocracia do processo – que envolve a empresa Industrial Light & Magic de George Lucas, com sede em Londres, que trabalhou em The Curious Case of Benjamin Button – e os elevados custos que o seu uso acarretaria.

À falta de fé juntou-se, provavelmente, o flop do último filme de Scorsese, Silence, que não conseguiu recuperar nem metade do seu custo de produção, deixando os grandes estúdios com receio que The Irishman fosse mais um devaneio dispendioso do realizador.

Eis que chega a salvadora das grandes produções dos nossos tempos. A Netflix chegou-se à frente para apoiar o projecto com 82 milhões de dólares. Fontes da gigante de streaming confessam que dentro da empresa há a esperança que The Irishman chegue mesmo a ser o primeiro filme premiado com um Óscar da Netflix.

Sobre a controvérsia cinema clássico/cinema via streaming, De Niro comentou: “Eu acho que é bom também porque precisamos do dinheiro para fazer isto bem feito e não era financeiramente viável de outra forma, da forma do cinema tradicional.”

Para o fim deixamos a pior parte: o filme só deve sair em 2019.