E se uma app no telemóvel substituísse o teu BI? A China está a testar isso

A app de mensagens WeChat vai poder ser usada como cartão de identificação em hotéis, aeroportos e noutras situações.

Se formos à China, provavelmente não vamos ver muita gente a usar o WhatsApp, até porque a aplicação de mensagens do Facebook está bloqueada desde Setembro deste ano no país. A aplicação mais popular nos telemóveis chineses é a sua alternativa asiática, o WeChat.

Desenvolvido pela empresa Tencent, o WeChat é uma espécie de “WhatsApp chinês”. Disponível globalmente, estima-se que o serviço tenha cerca de 500 milhões de utilizadores só na China. A aplicação serve para tudo e um par de botas além da simples troca de mensagens; e, em breve, também vai servir como bilhete de identidade electrónico.

Em Guangzhou, a capital e a maior cidade da província chinesa de Guangdong, localizada no sul do país, os utilizadores já podem usar o WeChat em vez do tradicional cartão de identificação, graças a um programa piloto desenvolvido entre a Tencent e o governo local. Este teste, se correr bem, deverá ser estendido à restante província e a toda a China já em 2018.

Para utilizarem o WeChat como sistema de identificação, os cidadãos chineses vão ter de inserir o seu nome e número de identificação na aplicação e depois, através de reconhecimento facial, poderão obter os seus BIs digitais. Esta forma de identificação será aceite em hotéis, aeroportos e noutras situações.

Não é a primeira vez na China que são desenvolvidos bilhetes de identidade electrónicos, tendo o serviço de pagamentos da rival Alipay desenvolvido um sistema semelhante em conjunto com os governos locais das cidades Wuhan e Nanning. Contudo, o WeChat é o primeiro prestes a desenvolver um sistema desse tipo a nível nacional.

Na China, o WeChat já pode ser usado para encomendar comida, chamar táxis, fazer pagamentos em lojas ou pagar contas, tornando o dinheiro físico e os cartões bancários obsoletos para muitas pessoas. Os utilizadores podem ainda partilhar estados e fotos com os amigos, descobrir novas pessoas que estejam por perto, ler artigos de publicações e blogues, marcar consultas médicas, etc.