Ahoy!: a extensão portuguesa que 100 mil usam para navegar livremente

Ferramenta foi desenvolvida pelo movimento Revolução dos Bytes e está disponível para Chrome e Firefox.

Em 2015, começaram a ser bloqueados os primeiros sites de pirataria (e não só) em Portugal, num processo muito pouco transparente e que não envolve qualquer entidade judicial. O primeiro alvo foi o The Pirate Bay, em Março, tendo em Outubro sido bloqueados mais 50 sites. Hoje, serão 1458 os domínios inacessíveis em território nacional.

Qualquer site pode ser bloqueado em Portugal se a Inspecção-Geral das Actividades Culturais (IGAC), o Movimento Cívico Antipirataria na Internet (MAPiNET) ou o Serviço de Regulação e Inspecção de Jogos (SRIJ) assim o decidirem. Para tal, precisam apenas de notificar os operadores de telecomunicações (MEO, NOS, Vodafone e NOWO) para que impeçam os seus clientes de aceder aos sites que constam na lista de bloqueios.

O Revolução dos Bytes, um “movimento de cidadãos preocupados com o futuro da internet e da liberdade de expressão”, desenvolveu em resposta uma extensão para Chrome e Firefox que permite contornar os sucessivos bloqueios a sites. Inicialmente o Ahoy! foi pensado unicamente para permitir o acesso ao Pirate Bay, mas, com o aparecimento de mais sites bloqueados, teve de ser repensado de raiz. Além de ter este lado prático para o utilizador, o Ahoy! permite à Revolução dos Bytes obter uma lista sempre actualizada de todos os sites bloqueados em Portugal.

Os responsáveis disponibilizam essa informação no site sitesbloqueados.pt, onde lamentam o facto de a MAPiNET ter deixado de divulgar a lista de desbloqueios. Cada vez que um site é bloqueado, é nos possível detectar esse bloqueio graças ao Ahoy!. Decidimos, portanto, fazer o serviço público que as entidades que tanto gostam de bloquear sites deveriam fazer”, escrevem.

Como é que o Ahoy! detecta um site bloqueado? Uma vez estando a correr no browser dos seus 100 mil utilizadores, a extensão detecta quando um determinado site redirecciona para uma página de bloqueio controlada pela operadora em vez de para o site em si, enviando uma notificação para a equipa da Revolução dos Bytes analisar. Caso se confirme tratar-se de um bloqueio, o endereço do site é adicionado à lista do Ahoy! e quase imediatamente todos os utilizadores passam a ter acesso ao mesmo.

O Ahoy! (Chrome, Firefox) desbloqueia sites redireccionando o tráfego para um dos quatro proxies configurados e mantidos pela Revolução dos Bytes – assim, quando alguém tenta aceder ao Pirate Bay ou a outro domínio “proibido”, vai automaticamente ver o site que pretende ao invés do aviso dos operadores.

Caso queiras, podes fazer um donativo à equipa do Ahoy! nesta página. À data de publicação deste artigo, foram angariados 1052,80 euros de 98 apoiantes – o objectivo é chegar aos 5 mil euros. Os reponsáveis pelo projecto têm vários objectivos em mente como o melhoramento da infraestrutura, criação de aplicações, melhoramento da actual extensão e, finalmente, a criação de um serviço de VPN português com a nossa garantia de qualidade.