A mais completa simulação de política europeia chega a Portugal

Realiza-se em Março na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa.

É já no inicio do mês de Março que a Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa acolhe a mais completa simulação de política europeia. Chama-se Model European Union e chega a Portugal depois de 10 anos a estimular jovens com interesse pelo projecto europeu por diversos países europeus. Pela mão da associação sem fins lucrativos BETA (Bringing Europeans Together Association), a ideia passa por debater e discutir temas que são caros à União Europeia, simulando de uma forma fiel os trabalhos legislativos do Parlamento Europeu, entre outras instituições.

As sinergias criadas e a partilha social fomentada nos vários Model European Union (MEU) são os grandes impulsionadores para que mais projectos desta natureza nasçam no seio da UE. Foi desta forma que nasceu a BETA Portugal. Catarina Neves, vice-presidente da BETA Portugal, conta ao Shifter que a criação da BETA Portugal foi possível devido à vontade de um grupo de portugueses que se conheceu no MEU em Estrasburgo, um dos mais antigos processos de simulação. O braço português da BETA segue a linha de raciocínio do cérebro do projecto e quer incutir em território nacional uma tradição de MEU, com continuidade e regularidade.

As simulações de tomada de decisão europeia e mundial não são novidade em Portugal. Em 2013, o Instituto Europeu da Faculdade de Direito de Lisboa, com o apoio da Direcção Geral de Comunicação do Parlamento Europeu concebeu uma simulação do processo legislativo do Parlamento Europeu. Já em 2016, no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas, foi realizada mais uma simulação do PE, desta vez em parceria com a Fundação Francisco Manuel dos Santos. Aveiro e Braga foram cidades que também acolheram simulações do órgão parlamentar máximo das instituições comunitárias nos últimos anos. Noutro tipo de simulação política, Coimbra foi palco da 1ª Simulação Internacional da ONU no meio universitário em Portugal em 2017.

Todavia, o MEU Lisboa alicerçado na BETA Portugal oferece uma proposta mais completa e com mais valências devido à experiência da própria organização na Europa. Em Março de 2018, os participantes vão encontrar o Parlamento Europeu, o Conselho de Ministros e um espaço de jornalistas como palcos de simulação num debate onde o português será a língua oficial. Em discussão estarão dois temas importantes no seio da UE: Igualdade de Tratamento no Emprego e Segredos Comerciais.

“Os requisitos que os participantes devem ter passam pela muita vontade de aprender sobre as instituições europeias!”, aponta Catarina Neves. Uma das organizadoras do evento refere ao Shifter que não é intenção da BETA limitar a participação a nenhum jovem que não seja das áreas mais tradicionais em acontecimentos desta natureza. Portanto, tanto são bem vindos cientistas políticos, jornalistas, juristas como engenheiros informáticos, biólogos ou médicos. Os bilhetes são destinados a qualquer pessoa entre os 16 e os 30 anos com interesse pelas temáticas europeias. As inscrições abriram ontem e têm o custo de 17€ para sócios e 21€ para não sócios, incluindo a própria simulação, refeições adjacentes e brindes variados.

Dos participantes aos organizadores não há vitórias ou derrotas num processo de simulação. Do lado de quem participa, os objectivos estão intimamente ligados ao propósito de cada função. Desta forma, um grupo parlamentar terá a sua missão bem sucedida quanto mais legislação conseguir aprovar no parlamento europeu simulado. Do lado da BETA, o grande objectivo é que tudo corra dentro do planeado de modo a dar um contributo para que os jovens se aproximem do projecto europeu.

Se os objectivos estão mais que delineados, a ambição da BETA não se restringe ao MEU Lisboa de Março. A ideia passa por consolidar duas simulações por ano: uma em português e outra em inglês, com participações de todos os europeus. Esta meta que estará consequentemente ligada ao sucesso do primeiro MEU em Portugal, poderá ganhar uma forma mais visível nos próximos meses.