Youtuber Casey Neistat assume que falhou e abandona CNN: uma reviravolta na Beme

Vlogger diz que não conseguiu encontrar um modelo de negócio viável para a Beme e que falhou na sua equipa.

Casey Neistat e o seu parceiro, Matt Hackett, estão de saída da Beme, empresa dedicada a vídeo que criaram em 2015 e venderam à CNN em 2016. O valor tecnológico e criativo da Beme vai manter-se na CNN, mas os dois fundadores vão agora seguir outro rumo. Casey assume que falhou em encontrar uma estratégia viável para a empresa.

No final de 2016, era notícia em toda a imprensa a aquisição pela CNN da start-up Beme, fundada por Matt Hackett e Casey Neistat, o popular vlogger com mais de 8 milhões de seguidores só no YouTube. Na altura, a CNN justificou o investimento com a sua vontade estratégica de chegar aos millenials, mas não adiantou muito sobre o futuro da empresa de Matt e Casey, proprietária de uma app para smartphones que permitia filmar momentos do dia-a-dia e partilhá-los no imediato. Nem mesmo Casey anunciou muito nos vlogs que foi partilhando ao longo de 2017, referindo que era um trabalho em curso e que os resultados seriam revelados em breve.

Nos dois vídeos que publicou sobre a Beme, Casey explicou como o foco da start-up tinha deixado de ser a aplicação para smartphones (que, aliás, deixou de funcionar no início de 2017) para passar a ser a produção de conteúdos, tendo como público-alvo a nova geração de nativos digitais, que consome e procura informação sobretudo na internet.

Era isso que interessava à CNN. Nesse sentido, foi lançado o canal Beme News, onde a actualidade é tratada com um ângulo jovem e uma linguagem própria do YouTube. Foi também lançada a aplicação Beme Panels, para smartphones iOS e Android, onde, através de pequenos vídeos, pessoas de qualquer parte do mundo podem comentar determinados temas e opinar sobre o que se passa à sua volta.

Segundo Casey Neistat, a sua saída da CNN resultou de um acordo entre ambas as partes. Num vídeo que publicou no seu canal de YouTube e depois apagou, o vlogger e filmmaker explica que não estava a conseguir corresponder aos desafios da CNN para encontrar um modelo de negócio viável para a Beme e que isso estava a provocar o seu afastamento/desmotivação do projecto. Casey explica que o valor produzido ao longo deste último ano vai permanecer na CNN e que a maior parte da equipa da Beme será absorvida por este órgão de comunicação social norte-americano.

Neste vídeo – que, por algum motivo, decidiu eliminar e onde se mostra visivelmente emocionado (e triste) –, Casey Neistat explicou ainda que não funcionou bem enquanto membro de uma equipa, apesar de dizer adorar a equipa e as pessoas com quem trabalhava; refere ainda que aquela equipa era melhor na sua ausência. Esta frustração terão levado à saída do filmmaker da Beme e da CNN. Num tweet, Casey assume toda a culpa por ter falhado.

O vídeo apagado tinha 10 minutos. Casey publicou outro, mais curto, de apenas 2 minutos, onde fala de que vai avançar com a sua vida, agora sem a Beme, mas não revela o quê.